quarta-feira, dezembro 28, 2016

Música

Esse ano o mundo perdeu vários ídolos da minha geração: David Bowie (que sempre sonhei em assistir um show), Prince, Leonard Cohen e agora no Natal, George Michael.


O álbum Faith foi o primeiro CD que comprei na minha vida. George Michael dominou a trilha sonora das minhas aulas de dança de jazz aos 14 anos. Neste Natal, sem querer acabamos fazendo um tributo na casa que eu estava e todos dançamos e cantamos as músicas dele por uma hora. Foi uma boa forma de honrar o artista que ele era.

Aliás, é muito bom a capacidade que a música tem de fazer a gente viajar no tempo. Agora mesmo estou ouvindo o CD da minha banda preferida de Floripa, o Dazaranha. Parece que voltei pra faculdade. A primeira vez que assisti um show deles eu era caloura.

sábado, dezembro 24, 2016

Feliz Natal!

Esse ano não há presentes mas ressuscitei o costume de mandar cartões. É tão bom receber algo pelo correio, né? Como eu gosto de surpresas, só mandei pra quem eu já tinha o endereço. Saber que vai receber algo perde a metade da graça. Mandei há 3 semanas e o pessoal no Brasil ainda não deu sinal que recebeu. Será que demora tanto assim?

Feliz Natal e Feliz Hannukah!



quinta-feira, dezembro 22, 2016

Minimalismo

Semana passada assisti no Netflix o documentário Minimalists. Fala em viver com menos e viver mais simples. Já falei sobre isso aqui e vários amigos são adeptos. Concordo com a prática, exceto o fato de se livrar de quase tudo que se tem e JOGAR FORA. Que pelo menos se encontre alguém que use o que você não quer, caso contrário é contribuir pro problema de lixo no mundo.

Nesse Natal eu contribuí para o não-consumismo. Não participei de nenhum amigo secreto e não vou comprar nem ganhar nada. 

Meu Cantinho

Eu adoro sair da rotina, viajar, mas gente, como eu gosto de ficar em casa também. Estava contando as horas pra voltar pro meu cantinho.
O que você sente mais falta no seu canto quando você viaja?
Acredita que o que mais senti falta foi a composteira e meus chás? Soy loca! Geralmente seria a cachorra mas ela foi comigo.

sexta-feira, dezembro 16, 2016

Lembranças dos anos 80

Hoje estava lembrando de 2 coisas dos anos 80 que me marcaram:

A banda Blitz pra mim foi a primeira banda de rock/new wave que surgiu pós Tropicália. Claro que teve Paralamas, Legião e Titãs  mas eu lembro da Blitz ter sido mais prominente no início dos anos 80. Talvez porque eles surgiram um ano depois de eu ter me mudado pro Rio de Janeiro e não existia nada mais cara de Rio do que eles e como eu era criança, a música deles não era tão séria. 

e continuando o estilo carioca surfista tinha o show Armação Ilimitada que eu era louquinha e não perdia um episódio. Eu era super fã do Bacana, o ator mirim Jonas Torres. 


segunda-feira, dezembro 12, 2016

TV

Mantenho distância de novela desde os meus 15 anos mas esse ano em que passei praticamente desempregada, acabei assistindo muitos shows na TV. Como é semanal e geralmente uns 10 ou 12 capítulos, fica mais fácil acompanhar sem se tornar dependente da televisão. Quem diria que a qualidade melhoraria tanto a ponto de ignorar filmes. Retrospectiva dos shows do ano:

- Game of Thrones - histórias com dragão sempre chamam minha atenção. Dispensa introduções, né? Fiquei na defensiva de começar por causa da violência mas é o melhor show que já assisti porque é a história menos inesperada. A gente nunca sabe o que vai acontecer nesse show, só sabemos que não dá pra se apegar a nenhum personagem. Qualquer coisa que saia do padrão mocinha neurótica, herói galã e bandido malvado está valendo pra mim.

- Enlightened - sobre uma mulher em busca de espiritualidade mas aquela coisa bem chavão. No fundo tem uma baita agressividade por trás. Me identifiquei um pouco com a história mas a mulher é tão pentelha que não acredito que tenha tido muito sucesso.

- Divorce - assisti essa semana. Novo show da Sarah Jessica Parker. Achei meio chatinho mas como não ser se é um show inteiro sobre divórcio?

- Westworld - também assisti essa semana e é fantástico! Segundo melhor do ano. A história de um parque com robôs com sentimentos, memórias e consciência. Mesmo produtor de Lost e bem o estilo de mexer com o tempo e narração.

- Mr. Robot - hacking. Ótimo show pelos diálogos e politização da história mas é um tanto quanto obscuro.

- Get Down - história sobre o surgimento do hip-hop em NY. Muito legal!

- Orphan Black - outro show que eu adoro principalmente porque a Tatiana - a atriz principal - faz um das melhores atuações que já vi. A 3ª temporada caiu um pouco mas ainda assim gosto de histórias de ficção.

- House of Cards - 3 temporadas e a coisa continua quente no mundo político

- Orange is the New Black - curto esse show de montão mas não acho que dure muito mais.

- Girls - versão pós-universidade e menos glamourizada de Sex and the City


sexta-feira, dezembro 09, 2016

Dezembro

Essa época de fim de ano e Natal coisa e tal sempre foi um pouco difícil pra mim. 
Quando era criança e morava no Rio, eu ia pra Floripa nas férias e ficava com os meus avôs mas eles dormiam cedo no dia 24. Pra não ficar sozinha, às vezes meu tio me convidava pra passar na casa da família da esposa, que por sinal era minha prima também (pois é, a gente era relacionada por parte de mãe e pai). Daí todas as crianças ganhavam presentes maravilhosos e eu ficava só assistindo. Vou te dizer que como criança isso era foda. 
No dia seguinte a família se reunia em algum restaurante e sempre acabava em algum drama, alguma choradeira. O vô não era de dar presente, só dinheiro. Então eu nunca tive Natal tradicional com família abrindo presente. 
Só tive alguns Natais assim com família, árvore, ceia e presente. Dois na Alemanha com a família do meu padrasto e dois com a família do ex. 

Ano passado dei um jeitinho de fugir com minha amiga e passei o Natal no aeroporto rumo a Cuba. 

Esse ano ainda não sei o que fazer. Por aqui as canções de Natal tocam em todos os cantos, aí faz a gente pensar ainda mais em família (ou a falta dela). 

terça-feira, dezembro 06, 2016

Cães x Gatos

Tem gente que prefere cachorro e tem gente que prefere gato. Um não tem como mudar a opinião do outro. É como democráticos x republicanos.
Depois dessa semana definitivamente sou 100% cachorro. Essa deve ser a sétima vez que estou cuidando de gatos e não pretendo cuidar nunca mais. São três nessa casa. Dois demoraram pra se aproximar mas agora são docinhos. O terceiro é o que mais peita os cachorros e fica em volta desde o primeiro dia. Parecia um fofo. Essa semana descobri que ele é o diabo em encarnação de gato. Eita bicho desgraçado! Depois de todo carinho e atenção que dei, mijou na cama 2x (até agora) e está mijando pela casa toda todos os dias e pior, na minha frente. Além disso, estou sem dormir porque ele me acorda super cedo.
Agora estou dormindo num sofá do escritório (que também tem cheiro de mijo de gato).
Já vi que gato não é pra mim:
- Não obedece
- Vários vomitam pra caramba
- Se sair uma horinha da rotina, socorro
- Extremamente teimoso (lembro dos vídeos de gato derrubando copos)
- Traiçoeiro
- Vingativo
- Caixa de areia dentro de casa não é comigo
- Me acorda pra comer (quero distância de bicho que me acorda)

A vantagem é que não precisa ficar cuidando tanto mas quem disse que não gosto de cuidar e levar comigo pra todos os cantos?

Não vejo a hora de voltar pro meu cantinho. Não tem coisa pior que cheiro de mijo de gato.
Mais duas semanas...

quarta-feira, novembro 30, 2016

Fidel

Eu ia comentar sobre o Fidel mas pra que, né? Já foi tão discutido no Brasil.
Uns admiram a Revolução e o que o Socialismo trouxe. Outros só pensam no fato da ditadura e o horror do Socialismo.
Será possível Socialismo sem ditadura? Acho que vários países europeus mantém uma certa mistura de Capitalismo e Socialismo e isso pra mim seria ideal.

Que semana!

Tristeza junto com o resto do Brasil sobre a queda do avião da Chapecoense. Tanta gente no auge da carreira. Vários dos meus amigos perderam colegas de trabalho, já que havia 21 jornalistas e de quebra descobri que um colega de escola no Rio de Janeiro tinha virado jornalista e estava no avião. Estou pasma. Falta de combustível é algo que acontece com o seu primeiro carro aos 18 anos (nunca passei por isto) mas um avião com 80 pessoas no século XXI? Que tamanha irresponsabilidade! Essa foi a maior irresponsabilidade que testemunhei num acidente de avião.
Eu e os 2 minúsculos cachorros com
menos de 2kg que querem colo o dia todo.

Na parte pessoal, estou passando o mês na casa de uma amiga cuidando dos 6 animais dela. Me ajustando a rotina da bicharada de horário de comida, remédio e muito colo. Gente, como toma tempo! No primeiro dia um caos. A amiga, que foi pra Tailândia, tinha esquecido o visto aqui. Acordo meio grogue pra procurar e piso em vômito de gato, depois vou colocar minha meia e estava mijada. Chego num lugar pra buscar o outro cachorro e esqueço a chave em casa. Eita!
Tudo se normalizando essa semana e eis que a noite passada encontrei um PERCEVEJO (bed bug) na cama dela. Ouvi muitos dizerem que é o maior pesadelo que se pode enfrentar em casa pois é muito difícil se livrar desses vampirinhos nojentos. Eles se alojam em tudo: livros, colchão, roupa, sapatos e podem se esconder sem se alimentar por um ano. E agora? Tenho que fumegar a casa toda dela e as minhas roupas. TUDO! Não posso nem passar em casa pra buscar mais roupa com medo de que eu carregue esses bichos comigo. E o pior é a ideia que ela vai ter de que eu trouxe essas pestes pra cá. E se entrou na minha casa também? Vou ter que gastar uma fortuna em dedetização e provavelmente jogar muita coisa fora. Que estresse!
Hoje pra continuar, descobri que minha cachorra está com artrite possivelmente causada por obesidade. 
Saravá!

sexta-feira, novembro 25, 2016

Invenções

2016
Quem não pensava que a essa altura já teríamos as várias invenções dos Jetsons?
Agora a melhor invenção pra mim seria aquela máquina do filme Eternal Sunshine of a Spotless Mind. Adoro aquele filme. Seria muito bom apagar certas memórias e pessoas da nossa vida e seguir em frente com a mente e o coração mais livre.

quarta-feira, novembro 23, 2016

Standing Rock (3)

Estou aqui há uma semana querendo escrever sobre Standing Rock mas acho que ainda estou processando tudo politicamente, pessoalmente e espiritualmente. É tanta coisa pra falar sobre as reuniões que participei, a vida no acampamento, os protestos, as cerimônias, o conflito branco x índio... Eu queria muito ter ficado mais tempo lá.
Na minha bolha facebookiana, é bom ver a quantidade de pessoas engajadas nessa causa e em união com a tribo Sioux. Toda semana vejo um novo grupo de conhecidos enfrentando os 2 dias de viagem pra ir ajudá-los e entregar doações, mesmo no frio de -6ºC (eu peguei -1ºC).

segunda-feira, novembro 21, 2016

Chove Chuva

Nunca pensei que um dia gostaria tanto de chuva. Domingo, friozinho, um vinhozinho e chuva lá fora. Que barulhinho bom! Só falta uma lareira.
Morar numa cidade eternamente ensolarada tem disso. A gente sente muita falta da chuva.

domingo, novembro 20, 2016

Nossa Intolerância

Às vezes penso na dificuldade em lidarmos com as diferenças dos outros: raça, língua, tamanho, ideologias, educação, sexualidade, religião…praticamente tudo na vida. 
É difícil ver a vida com os olhos de outra pessoa e muitas vezes a gente julga alguém sem considerar a história pessoal e cultural de cada um. 
Como imigrante, eu lido com isso diariamente. Hoje vi um comentário de uma amiga enlouquecida porque o cachorro do vizinho estava latindo muito, o que no Brasil (ou aqui no meu bairro) é algo super comum. 
Lá veio o pensamento: gente, não é grande coisa. 
Mas depois me dei conta que na cultura do americano branco isso é grande coisa porque eles mantém os animais dentro de casa e não suportam ouvir latido intermitente de cachorro. É uma reclamação bem comum que ouço de muita gente. 
O mesmo acontece com a bagagem que trago por ter crescido em outro país. Às vezes tento explicar essas diferenças mas é difícil ver a questão pelos meus olhos porque eles não viveram aquela realidade. 

No final todos cometemos intolerância sem perceber. 

sexta-feira, novembro 18, 2016

Qual o próximo destino?

Após a vitória do Trump, a falta de trabalho e a atual dificuldade de integração com os americanos, me parece cada vez mais claro que é hora de encontrar um novo destino. Não sei explicar bem mas neste último ano estou me sentindo mais estrangeira que nunca. Em toda a minha vida adulta, meus amigos sempre foram a minha família mas agora que vivo mais eremita, às vezes dias sem sair de casa, sinto necessidade de novos ares.
Mas onde? Alô Universo, manda um sinal de fumaça.

Contato direto com os representantes

Uma curiosidade é que as pessoas sempre postam o telefone dos gabinetes políticos para as pessoas contactarem como forma de pressão dos cidadãos. As pessoas ligam cobrando representação em  inúmeras questões como o caso da Dakota Access Pipeline ou a nomeação de Steve Bannon no governo Trump, um declarado supremacista branco. Se ajuda ou não, eu não sei mas acho boa essa participação maior dos eleitores.
Também vejo um maior envolvimento das pessoas em várias votações de projetos nacionais, estaduais e municipais. Democracia é algo muito relativo pra mim mas esses são exemplos de cidadania num processo democrático.

Povo Solidário

O americano preza muito a individualidade mas ainda assim é bom ver tanta gente engajada em problemas sociais.
Muita gente incluindo políticos e artistas estão em solidariedade com Standing Rock. A quantidade de doações é impressionante. Além de comida, roupas, câmeras, material de acampamento,etc, um dos acampamentos já recebeu 2 milhões de dólares.
Essa semana uma amiga aqui em Los Angeles buscou um lugar pra voluntariar no Thanksgiving semana que vem e todos os lugares estão lotados e não precisam mais de ajuda.
Ainda tenho amigos que voluntariam em canis da prefeitura e inúmeros tipos de ONGs e além disso, muitos doam dinheiro pra várias organizações.

Mês passado organizei uma ação pra arrecadar sapatos pra ONG Soles4Souls que distribui para países muito pobres como o Haiti. Meu gol era 100 pares e felizmente consegui juntar o dobro. Muito mais do que o esperado. Hoje vou lá entregar. Assim ajudamos os amigos a se livrarem das coisas extras e também as pessoas que não tem condições de comprar um sapato.

quarta-feira, novembro 16, 2016

Políticos

Apesar do momento desastroso na política americana, uma coisa boa nesse país é que ainda existem políticos dignos de respeito e admiração e muito menos corrupção que no Brasil. Um grande exemplo disso é Bernie Sanders que fez sua campanha com dinheiro de doações pessoais ao invés de corporações. Ele tem uma história de luta por direitos humanos, militante desde novo e batalha por uma política mais socialista com melhoria na educação, saúde, mais direito aos trabalhadores e política ambiental. Hoje fez uma declaração a favor de Standing Rock.
É bom ver que nem todos são corruptos e pró-guerra. 

terça-feira, novembro 15, 2016

Patriotismo pra que?

Tempos Obscuros na Política

De um lado, acho bom os amigos americanos dizerem que vão lutar contra esse governo e que é preciso deixar a apatia de lado.
No entanto, já faz muito tempo que o patriotismo perdeu o sentido pra mim. Por que a necessidade de estar preso a um determinado pedaço de terra? Qual o objetivo de ser patriótico? Pra que ter tanto orgulho de UM país?
Eu me sinto cidadã do mundo e não acho que nenhum país é melhor que o outro. Todo lugar tem um lado bom e ruim. A beleza pra mim está em explorar esses lados.

Fotos de Ex

Acabei de ler uma conversa no FB de uma amiga que mantém fotos dos ex e o atual (agora ex) namorado tinha ciúmes disso. Ela disse que não apagou pois era insegurança dele e ela perguntou a opinião das pessoas sobre isso.
Mais de 200 pessoas comentaram que manter fotos é completamente normal pois faz parte das nossas memórias, de quem somos. Muita gente disse que continua se dando super bem com quem fez parte da vida. Frequentemente vejo ex-casais ainda com a mesma roda de amigos.
Que bom! Assim vejo que não sou louca e tem muita gente que pensa como eu. Sou muito grata pelas amizades que mantive com o meu passado, inclusive eles sempre comentam no meu Facebook. Também sou grata por fazer parte de um grupo assim com menos neuroses, possessividade e ciúmes.
Só ficaram pra trás aqueles que eram muito diferentes como um namorado que tive assim que cheguei em LA. A gente não tinha absolutamente nada em comum, então a amizade não durou muito (além de ele ter me tratado super mal).

segunda-feira, novembro 07, 2016

Eleições

Acabei de colocar meu voto no correio. Ainda não me acostumei com a ideia que a gente tem 3 semanas para votar pelo correio.
Gosto muito do fato que aqui votamos para cargos de justiça e várias propostas estaduais e municipais como por exemplo este ano: aumento do uso do dinheiro em educação, pena de morte na Califórnia, uso de sacolas plásticas, legalização da maconha, regularização do uso de armas e até uso de camisinha em filmes pornô.

domingo, novembro 06, 2016

Conflito

Li no FB de um amigo hoje:
"Evitar conflito gera conflito"
Muito de acordo.

Standing Rock (II)

Amanhã um grupo de amigos parte de motorhome para a Dakota do Norte para levar mantimentos e fotografar. Lógico, fui a primeira a me comprometer de ir junto porque às vezes a vontade de me envolver com jornalismo de novo volta.
Como mameluca que sou, ou seja, mestiça de branco e índio, eu sinto o chamado de apoiar a tribo Sioux mas estou apreensiva quanto ao risco de prisão. Entre a grana da fiança e custo de advogado, não estou em condições de bancar mas sinto que é um momento histórico e a comunidade do Burning Man está indo em peso pra dar apoio, inclusive com um acampamento lá.

sábado, novembro 05, 2016

Standing Rock (I)

Hora de falar de Standing Rock, o conflito na reserva indígena da tribo Sioux na Dakota do Norte. 
Dakota Access Pipeline é um projeto que pretende distribuir o petróleo daquela região a outros estados. O argumento é que isso causará uma menor dependência de petróleo vindo do exterior. Acontece que esse oleoduto está sendo construído para passar embaixo do Rio Missouri, que é fonte de sobrevivência da tribo indígena. Desde abril membros da tribo vêm se reunindo em protesto contra o oleoduto. Eles temem que vazamentos contaminem a água do rio, como já ocorreu em outros lugares. 

Foto: Alex Wong
O interessante é que nos últimos dois meses esse movimento tomou uma dimensão inesperada e tem mobilizado muita gente, principalmente porque traz à tona toda a questão do homem branco opressor. Os manifestantes são chamados de protetores da água. Gente do país todo tem se juntado aos acampamentos para ajudar os Sioux. Algumas celebridades se envolveram como o ator Mark Ruffalo e a atriz Shailene Woodley, que foi presa. Mais de 200 prisões foram feitas e por falta de lugar nas cadeias, algumas pessoas foram colocadas em jaulas de animais. 

Algo que eu admiro muito na cultura americana é a praticidade e capacidade de realização. Eles são muito pragmáticos e sempre exigem ação diante de um problema. 

- foi distribuída uma lista do que pode ser feito pra ajudar a reserva indígena: telefones, doações, websites, produtos necessários

- treinamentos realizados online ou em algumas cidades

- grandes corporações bancárias financiaram o projeto da Dakota Access Pipeline e muitas pessoas estão fechando suas contas nestes bancos e transferindo pra um "credit union" (crédito sindical?). Ouvi dizer que uma agência até teve que fechar as portas por causa do término de contas

- foi feita uma doação anônima de $1.5 milhão para liberar todas as pessoas da cadeia. Cada fiança custa $1.600

terça-feira, novembro 01, 2016

Apagar tudo?

Usei esse blog como diário e desabafos da depressão por um tempo porque achava que ninguém estava lendo ou talvez com a ideia de que pudesse ajudar outra pessoa que estivesse passando por momentos obscuros também. Sei lá, aquela coisa que não sou a única a passar por merda, sabe?
Mas agora fiquei com vontade de apagar tudo. Estou me sentindo muito exposta.
Não quero mais escrever sobre meus sentimentos.
Está na hora deste blog ser mais factual e menos emocional.

quarta-feira, outubro 26, 2016

Apreciação

Semana passada houve um incêndio a uma milha daqui que destruiu uma casa de três andares. Foi feio o negócio (veja o vídeo), tanto que o dono da casa não sobreviveu. Aliás incêndio por aqui é algo comum. O que eu achei interessante foi o fato de vários membros da vizinhança agradecerem aos bombeiros e levarem presentes pelo ótimo trabalho que fizeram. Bonito isso, né?

Saúde nos EUA

Exausta desse sistema de saúde que explora, explora e explora.
Como descansar, cuidar da saúde, se sustentar e pagar contas médicas ao mesmo tempo?
Cada vez que preciso ver um especialista, preciso ir num médico geral, pagar a consulta, esperar 4 horas pra ser atendida, pegar uma requisição e pagar outra consulta pra ver um especialista. As visitas de retorno também são cobradas. Haja grana!
Com certeza aqui nos EUA se paga muito melhor que no Brasil e há muito mais oportunidades mas depender do sistema de saúde é uma frustração.

Preciso encontrar um trabalho.

segunda-feira, outubro 10, 2016

Noites Escuras da Alma

Por que tenho tido tanta dificuldade de superar a dor de tudo que passou nesses últimos 3 anos?
Não sabia por que os pesadelos tinham voltado mas agora percebo que setembro e outubro marca o "aniversário" do início da crise. Eu não quero mais me sentir vítima. Quero deixar o passado pra trás mas pra isso, preciso encontrar novos propósitos, o que tem sido bem difícil.

Desde os 29 anos eu sonhava em ter uma família e achei que aos 34, quando reencontrei alguém que buscava o mesmo, isso finalmente se realizaria. Aquele ano foi um dos mais felizes da minha vida. Estava super bem, cheia de objetivos, de confiança, de auto-estima, em paz comigo mesma. Daí ELE decidiu sozinho a hora e o lugar onde deveríamos morar. Ele voltou (no momento em que ainda não me sentia preparada), eu não senti nenhuma compreensão sobre minhas barreiras, nem apoio ou incentivo pra mudança e rolou muita cobrança psicológica sobre várias questões. Ao mesmo tempo a gente não se separava. Eu fiquei tão estressada com tudo isso que fui parar na mesa de cirurgia um ano depois.

Muita coisa aconteceu depois disso e pra encurtar, eu perdi tudo de uma vez só: saúde, companheiro, sonho de ter uma família, amigos e trabalho, um a um nesses 3 anos.

Agora tento ficar na paz com toda a perda. Tinha o sonho de comprar uma casa, compartilhar a vida com um parceiro e ser mãe mas a essa altura acho muito difícil que alguma dessas 3 coisas aconteça. Desperdicei os melhores anos da minha vida pra isso acontecer. O que o universo quer me dizer com o fracasso de todas as tentativas de família na minha vida? Não quero viver na ilusão. Só o fato de ainda estar viva já é meu ganho mas como criar novos sonhos a essa altura? Como apagar o sonho de ser mãe e conseguir criar um novo? Porque eu sei que somos movidos a sonhos que nos fazem levantar da cama e seguir em frente. Caso contrário, a gente só vegeta.

Tenho buscado tudo pra ficar em paz comigo mesma mas sem um novo propósito, não há como avançar completamente. Preciso sempre lembrar que meu amor não pode ser mais direcionado a pessoas específicas e sim à Natureza. Espero sair uma pessoa melhor disso tudo. Espero conseguir crescer através da dor. Espero encontrar um novo caminho, novos propósitos, novas realizações que não sejam carreira, amor ou família.

Adendo:
Eu acho que a raíz do meu problema é que nunca fui uma pessoa conformista. Sempre corri atrás das coisas mas nesse caso, a única solução é me conformar, o que nunca foi meu forte. Então é melhor trocar a palavra para aceitar. Devo aceitar o fim destes sonhos.

sábado, outubro 01, 2016

Amor Incondicional


Minha Família!

O único amor que não abandona.
Pena que ela está ficando velhinha.

Quero novos horizontes

Esses dias em Oakland me serviram pra ver o quão cansada estou de Los Angeles. Eu não queria voltar de jeito nenhum e só voltei por causa da Nina.
A única razão que me prendia aqui era a comunidade mas hoje em dia é cada vez mais difícil encontrar amigos. Eu só quero árvores. Cansei do clima de deserto.

sexta-feira, setembro 30, 2016

Symbiosis e Bay Area

Semana passada fui trabalhar no último festival da temporada - o Symbiosis - no norte da Califórnia. Pagamento mínimo mas eu tinha curiosidade de checar esse evento. É o festival comercial mais parecido com o Burning Man e a maior quantidade de hippies por metro quadrado. Parecia uma convenção de dreadlocks. Também foi o mais desorganizado em que já trabalhei até hoje mas a música e a arte compensaram a bagunça. Mais uma vez, a exposição Samskara de Android Jones até me fez chorar de tão linda. É uma projeção 3D de 25 minutos unindo todo o trabalho dele e te faz sentir dentro de um sonho.
E já que o evento fica perto de San Francisco, não podia deixar de passar a oportunidade de vir pro meu lugar preferido neste país. Me sinto tão em casa aqui. Vim pra ficar um dia e 4 dias mais tarde, cá estou. Revi amigos, descansei e até participei de um sound bath ("banho de som?") numa igreja ontem com 300 pessoas. Cadê a vontade de voltar pra casa?

domingo, setembro 18, 2016

Laurel Canyon

Uma das coisas que eu gosto de viajar é a inclusão do elemento surpresa no dia-a-dia e é super legal quando acontece na nossa cidade também.
Estava num aniversário ontem e sem vontade de voltar pra casa. Daí conversei com um amigo que está em todas e ele convidou pra ir num outro aniversário. Geralmente não vou pra lugares onde não conheça ninguém mas lá fui eu num casarão em Laurel Canyon com vista pra cidade toda. Vários músicos fazendo um jamming e não é que dou de cara com 3 amigos. Los Angeles às vezes é pequeno.
Sou fascinada pelos personagens que encontramos pela vida.
Um dos músicos era o saxofonista do Pink Floyd. Sem comentários, né?
Outra mulher super roqueira com a maior pinta e jeito de adolescente tinha 55 anos (!!) e um baita vozeirão. Curtindo, dançando, inspirando...

terça-feira, setembro 13, 2016

Vilas "Intencionais"

Hoje em dia, muitos se perguntam como trazer os princípios do Burning Man ao nosso dia-a-dia.
Do Burning Man já nasceram alguns movimentos como o Burner Without Borders que atua em vários projetos comunitários pelo mundo, o Black Rock Solar sobre energia solar e o Black Rock Observatory que ensina astronomia aos leigos.
Cresce também o movimento de comunidades afastadas de cidade que usam o espaço para retiros, aulas, permacultura, etc. A prática tem vários nomes: ecovillages, permaculture villages, intentional villages, alternative communities, etc.  Inclusive a organização do Burning Man comprou uma propriedade próxima ao festival em que ainda estão definindo seu futuro.
Um exemplo dessas comunidades é a Emerald Village, perto de San Diego, onde um casal de amigos mora. São 5 famílias, vários animais, uma grande horta e espaço comunitário.
Outro exemplo diferente é a cidade de Nevada City, onde não tem esse modelo comunitário mas vários burners têm se mudado pra lá nessa década.
Agora esta semana, um outro amigo anunciou um novo projeto: o Trillium. Uma comunidade no sul do Oregon que vai contar com uma universidade de ensino ligado à sustentabilidade, yoga e espiritualidade.

A vontade de morar numa comunidade sempre existiu mas não via muita viabilidade de acontecer. Hoje esse sonho parece mais possível. Resta descobrir em que eu poderia contribuir já que geralmente eles querem uma função específica. Quem sabe um dia? Tenho que ver como fazer isso acontecer.

Mais sobre o assunto (em inglês):

6 Secrets for Living Together in Community
Permaculture Villages
10 intentional communities
Fellowship of Intentional Communities
Evolving from Burning Man to Permanent Villages (crítica ao BM)

quinta-feira, setembro 01, 2016

Arrependimento

Todos os sinais e a intuição diziam pra ir ao deserto. Fico olhando as instalações de arte e babando com vontade de estar lá. Acho que fiz uma grande besteira em não ter ido quando tantos sinais diziam pra ir. Mais uma vez ignorei minha intuição.
Mas ando pesquisando médicos holísticos e a consulta mais barata é 300 dólares. Não tinha como gastar uma fortuna pra ir ao festival, mesmo que esteja diretamente ligado à minha saúde emocional. Ainda por cima, nem sei se minha van chegaria lá.

sexta-feira, agosto 26, 2016

Papisa

Desde o ano passado, quase todas as vezes que li as cartas do tarô, eu peguei a carta da papisa. Como pode isso?

BM 2016

Decidi honrar os compromissos e não ir pro Burning Man mas essa decisão está me causando uma baita ansiedade. Não consigo relaxar, não consigo dormir. Nunca fiquei tão agoniada com a ideia de não ir pro Burning Man.
Acho que quando a gente lida com a morte, a gente não quer mais desperdiçar as oportunidades e as chances de novas experiências.
Daí pensei, de repente planejo uma viagem pra um lugar que eu não conheça e mesmo assim, não me animei. Hoje me dou conta que até já viajei bastante mas geralmente pra lugares onde já tinha amigos. Ir pra um lugar desconhecido sozinha não me anima mais.
E a ideia do Burning Man voltou porque hoje em dia é um festival tão internacional que é uma experiência única conhecer gente do mundo inteiro num ambiente que mais parece outro planeta.

quinta-feira, agosto 25, 2016

Overthinking

Três pessoas me disseram essa semana que eu penso demais. Isso eu já sei. Falta aprender a resolver esse problema. 

terça-feira, agosto 23, 2016

TTITD

Os veteranos chamam o Burning Man de TTITD - That Thing in the Desert (Aquela Coisa no Deserto).
Passei o ano todo achando que minha vida de burner tinha acabado. Cansei da poeira, do deserto, do calor excessivo durante o dia e do frio excessivo de noite e acho que o Burning Man já me providenciou os ensinamentos necessários. Quero praia e árvores.

Mas este mês sinto algo me chamando praquele lugar. Há anos não sentia essa vontade extrema de ir. Necessidade de novas experiências? Necessidade de conexão? De inspiração? Necessidade de mais cura? De dançar? De abraços?
Noite passada até li as cartas de tarô e chego no meu quarto, minha imagem do Burning Man caída pela primeira vez (foto). Outro sinal?

Mas a grana tá curta. É muito gasto. E agora me comprometi a trabalhar em outro festival.
Fico entre a responsabilidade e a intuição. Escrevi pra uma amiga ontem que também lê tarô e ficamos comparando leituras e ela respondeu:
Esse é sempre o impasse (em relação a dinheiro). Às vezes, as circunstâncias que auxiliam o seu crescimento pessoal entram em conflito direto com a necessidade de sobrevivência / compromissos. Todos nós passamos por isso. Mas as cartas estão manifestando algo muito real dentro de você que está te dizendo para ir. Se é assim tão importante, será que vale a pena ignorá-lo? Há momentos em que os compromissos são mais importantes, e há momentos que são cruciais para o seu crescimento pessoal que tem benefícios incalculáveis que você ainda não pode ver.

Essa Megui indecisa, imprevisível e espontânea às vezes é difícil de lidar, principalmente quando entra em conflito com o lado responsável adulto e racional. Mas vou te dizer, geralmente não curto decidir as coisas sozinhas. Um empurrãozinho sempre cai bem. Essa vontade de me jogar em tudo e não poder abraçar duas opções ao mesmo tempo e ter que dizer não pra uma das opções...argh! Vida dura de uma geminiana.

domingo, agosto 14, 2016

Trilogia de Richard Trinklater

Faz muito tempo que evito filmes de romance mas a trilogia Antes do Amanhecer, Antes do Por do Sol e Antes da Meia-Noite surgiu em algumas conversas e resolvi encarar. Lembro que amei os dois primeiros quando assisti mais de 10 anos atrás. Os diálogos de Ethan Hawk e Julie Delpy são fantásticos e a gente sempre se identifica um pouco com o personagem, no meu caso muito com o segundo filme principalmente a cena do carro.
Mas não gosto do efeito que filmes de romance tem na minha cabeça. Fico sonhadora. Mais adolescente, impossível. Melhor voltar à realidade.

sexta-feira, agosto 12, 2016

Yoga Nidra

Fazia um tempão que tentava praticar meditação em casa e não conseguia. Quando sentava quieta em algum canto, a cabeça ia à loucura lembrando as vinte mil coisas que tinha pra fazer. Aí vinha o pensamento:
 - Se eu não escrever isso agora, nunca mais vou lembrar.
E lá se ia a tentativa de meditar.
Então busquei a meditação guiada. Essa funcionou bem melhor pra mim porque minha cabeça foca mais em alguma coisa.
Daí fiz uma aula de Yoga Nidra num festival e fiquei encantada. Eu estava ouvindo e ao mesmo tempo viajando. Saí bem mais leve.

E o que é Yoga Nidra? Do website Arte de Viver:

Yoga Nidra ou Sono Yogui é uma forma de meditação ou relaxamento que foi descoberta e ajuda a reduzir tensão e ansiedade. É um estado no qual estamos em sono profundo e ainda conscientemente alertas. É um meio termo entre o estado de vigília e o sono, onde nosso corpo está relaxado, mas nossa mente está trabalhando em um nível mais profundo e relaxando cada partícula do nosso corpo e mente. Em termos mais simples, em Yoga Nidra nossa mente testemunha o relaxamento do nosso corpo, submetendo-se, ela mesma, ao relaxamento .

Vale a pena batalhar?

Eu sei que faz parte da vida e não é uma questão de ser bom ou não mas acho muito louco o fato de que algumas pessoas na vida batalham pra caramba e acabam sem nada e outras mal fazem esforço e recebem tudo. Nem digo coisas materiais. Digo, o equilíbrio da vida mesmo. Mas quem disse que a vida é justa?

Poluição

Com a seca em Los Angeles há alguns anos, a qualidade do ar neste verão está péssima. Eu nunca tinha visto essa camada de poluição na cidade como vejo agora. E aí a vontade de partir cresce, claro. Cada vez mais necessidade de natureza na minha vida.
Continuo nesse dilema. Onde vou viver? Como vou viver? Como arranjar pique de começar do zero sem trabalho, amigos ou companheiro?

Aliás, a vontade de mudar de estilo de vida tem sido enorme há 2 anos (mesmo aqui na cidade) mas ainda não sei como. Quero arranjar companhia pra fazer mais coisas na natureza e está difícil de encontrar.

terça-feira, agosto 09, 2016

Livros

Sempre gostei de estar rodeada de livros e este mês estou aproveitando pra ver se leio mais porque comecei a ler 4 livros ao mesmo tempo mas falta terminar. Um dia eu consigo ler toda essa biblioteca aqui em casa.
Ano passado entrei pra um clube do livro mas nunca fui às reuniões porque estou concentrada nos livros de cura que tenho pra ler. Dá-lhe cura pra trabalhar.
A tribo dos jornalistas sempre teve o pé atrás com livros de auto-ajuda mas no momento é o que preciso.

Por falar em leitura, eu e meus alunos de Português Avançado lemos O Alquimista. Todo mundo sempre falou tão bem desse livro (menos os jornalistas que eu conheço). No começo até gostamos da mensagem e da história mas achei tão simplório e fraquinho. Acho que não sou muito chegada em Paulo Coelho não mas eu tinha que ler pra conferir.

Em compensação estou amando o livro O que sabem as pessoas felizes de Dan Baker. Um estudo sobre felicidade por um médico que fala de psicologia, terapia (e os erros), do movimento de pensamento positivo (e os erros). Acho técnico, preciso e super realista. Tem dados interessantes que falam de comunicação, de reação, de virtudes.

domingo, agosto 07, 2016

Miss Roubada

Era como o meu melhor amigo em Floripa me chamava. Digamos que gosto de aventuras e de repente é porque adoro resolver problemas.

Hoje fui levar minha cachorra pra passear. Sempre que faço isso, não tranco minha porta porque é coisa rápida. Mas eu tinha que pegar uma coisa na minha van e peguei a chave. Por força do hábito, chave na mão, casa trancada. Resultado: fiquei do lado de fora, sem telefone, carteira, dinheiro ou chave de casa.

Lembrei que tinha uma chave de casa extra no meu carro que estava na casa de um casal mas eu não tinha a chave do carro (também estava dentro da minha casa). Cheguei lá na casa dos meus amigos no meio de uma reunião. Ainda bem, porque uma das mulheres tinha o AAA (serviço de guincho) pra eu usar. Eles vieram, abriram meu carro e pude pegar a chave de casa.

Que saga! Se eu não tivesse essa chave extra, não sei como faria pra entrar em casa.

quarta-feira, agosto 03, 2016

Muita calma

Pra continuar o exercício de não se apavorar com mais nada, meu trabalho está super devagar esse ano e hoje eles me disseram que vão mudar meu status pra freelance.
Trabalho na empresa 10 horas por semana. Não é muito mas era uma ajuda. Agora nem isso.
Vixe!
O que vou fazer? Não sei mas não posso mais perder as estribeiras e voltar a pensar no trabalho da Nintendo que eu perdi. Vamos exercitar a arte de ser muito pobre e adquirir dívidas.

Uma hora a gente dá um jeito na vida.
Mas que é difícil manter a positividade assim, isso é.
Gente do céu, seja quem for a pessoa que rogou uma praga em mim, ela é poderosa.

ô Universo, me traz uma boa notícia, vai. Só uminha pra quebrar a rotina desses 3 anos.

Tentar colocar isso em prática:
"A paz não é chegar ao lugar onde você já não está emocionalmente destruída pelo amor (ou emocionalmente destruída por apagar o eterno sonho de ter a família que você nunca teve). Não é se tornar tão calma que você não sente mais o peso da perda. É o lugar onde você exerce a sua liberdade de colocar a sua energia na direção que você quer ir. Não é sobre a frequência com que sente desconforto, mas quantas vezes você é capaz de escolher vê-lo sem ser consumido."

terça-feira, agosto 02, 2016

Seguindo a corrente

1/1/1997 (ou 98) - Guarda do Embaú, SC
Eu e meus amigos da Lagoa achamos um terreno pra acampar e passamos o Reveillon lá. No dia seguinte eu e o Nico fomos pra praia e inventamos de nadar até uma bancada de areia. Era pertinho e parecia ser tranquilo, só que a tansa aqui caiu numa corrente. O Nico foi me ajudar e se ferrou também. Parecia tão fácil alcançar a bancada e tentamos por um tempo nadar contra a corrente até que o bicho pegou. Por um momento, nós dois achamos que íamos morrer até que um surfista nos colocou na prancha e nos levou pro outro lado. Na hora a gente não pensa que não teria passado tanto sufoco se simplesmente deixasse a corrente nos levar ao invés de lutar contra ela.

É hora de parar de nadar contra a corrente e deixar a vida me levar.

Hoje faz 2 anos que tive minha cirurgia. Parece que faz muito mais tempo. Mas mesmo com todas as dificuldades e a falta de apoio emocional, eu sobrevivi. Vamos seguindo em frente com um vídeo do Jason Silva.


domingo, julho 31, 2016

Vitamina


Eu não sou nada sem meu liquidificador. É o eletrodoméstico mais caro da minha casa mas valeu cada centavo. Eu tomo vitamina quase todas as manhãs e a minha favorita é essa:

- uma banana congelada
- manga
- kefir
- leite de amêndoa
- gengibre
- curcuma
- chia 
- canela
- alguma proteína

Muito bom (e saudável)!


Jason Silva

Se você já ouviu falar de Jason Silva, ótimo. Se não, você deveria.
Jason Silva é um filmmaker de 34 anos que fala de filosofia em mídia social. Os vídeos dele são super inspiradores! Estou assistindo um agora em que ele conta que desde a época de escola/adolescência, se encontrava com os amigos numas rodas pra discutir sobre arte e vida. É muito bom mesmo. Já entrei em discussões assim principalmente na semana que passei na Chapada Diamantina. Alimenta a alma e o cérebro, instiga curiosidade, inspira a ser mais.
Daí minha cabeça pensadora viaja em tantas direções.
Vai lá assistir um e me diz o que você achou.

A Conselheira

Eu sou a funcionária mais velha no meu trabalho. Daí os meninos vêm tudo me contar da vida deles, inclusive amorosa. Acho bonitinho. Virei a irmã mais velha da galera, pelo jeito.

Ultimamente tenho várias amigas passando por muito aperto, uns problemas bem difíceis e estou fazendo o máximo pra ser a velha Gisele de outrora e ouví-las pra dar uma força. No Brasil todo mundo vinha desabafar comigo. Acho isso tão importante. Por experiência, a sensação de isolamento é a parte mais difícil nessas horas. 

E agora estava conversando com um amigão do Rio. Somos grandes amigos há 22 anos. Felicidades em manter minhas antigas amizades mesmo fora do Brasil há 16. Daí ele tocou num assunto delicado pra mim. Ele está/estava namorando uma colombiana que mora em NY. Todo carioca que eu conheço é super apegado ao Rio mas como ele não tem muito trabalho agora, resolveu planejar de vir. Daí ela se apavorou e terminou com ele por causa da distância. Só que ele disse que essa coisa de terminar via internet não é pra ele e vai vir de qualquer forma mesmo sem o ok dela. Já até arranjou um lugar pra ficar temporariamente. Ele nunca se deu muito bem na área do amor (assim como eu) mas espero que dê tudo certo dessa vez. Ele merece. Caso contrário, valeu a aventura. 

quinta-feira, julho 21, 2016

Pelas Ruas

Hoje foi a segunda vez esse ano que bati um papo longo com um cara que está nas ruas. Eles sempre têm um bocado de coisa interessante pra falar.
O primeiro passou muitos anos na prisão, foi viciado, casado e disse que está mais feliz nas ruas pois é livre e não deve satisfação pra ninguém. Acho que eu podia passar horas conversando com ele se não fosse o problema de entender só metade do que ele falava.

Vejo que eles têm uma necessidade grande de se comunicarem porque ninguém dá atenção a eles.

Hoje tive outra experiência. Ele veio do Oregon pra cá há 3 semanas de carona e disse que alguém roubou a mala dele. Não sei se é verdade ou não mas ele era bem eloquente, falando de amor, de vida, de não reclamar da vida senão as pessoas desprezam, etc.

terça-feira, julho 19, 2016

Felipe Neto e a Religião

Taí, essas ideias fecham bastante com a minha. Só tem uma coisa. Muitas pessoas dizem que Deus é amor, fé, energia. Então pra que chamar de Deus? Por que não chamar de amor, fé, energia? Por acaso, eu chamo ódio de Diabo ou Darth Vader? Pra que a necessidade de uma entidade? Por que não acreditar simplesmente num mundo melhor em comunhão com a natureza? Em paz, equilíbrio, respeito ao próximo? Não sei, eu sempre acreditei na capacidade de crescimento, em fazer o bem porque é bom fazer o bem independente da existência de um ser supremo. Ainda não entendo a necessidade de se colocar Deus em tudo: em acontecimentos, em tragédias, em problemas e soluções.   Às vezes penso que virou uma palavra banalizada. Americano usa a palavra Deus até na hora de transar.

Sabe o que mais não faz sentido? O ser humano tratar os animais como seres inferiores, prendendo em jaulas, canis, corrente, matando por pele, marfim. Como pode acreditar em Deus e tratar os outros habitantes do planeta desse jeito?


domingo, julho 17, 2016

Música

Hoje tem show do Peter Gabriel & Sting no Hollywood Bowl mas os ingressos estão 200 dólares. Quem me dera...

Pelo menos ontem assisti Brazilian Girls, que de brasileiro não tem nada pois a cantora é francesa e o cantor senegalês, Baaba Maal. De graça.

quinta-feira, julho 14, 2016

Bem-vindo ao caos

Tem gente que fica mal depois de um aspecto falho na vida. Imagina todos? Nos últimos 3 anos, saúde, família, amor, amizade e trabalho foram-se, um a um (e tem gente que ainda me julga por estar assim, ou pior, compara). Não quero mais ser uma lutadora. Me rendo e me entrego ao caos. Pelo menos agora não sobrou nenhuma parte da vida pra cair.
Cansei. Só quero descansar.

segunda-feira, julho 11, 2016

Pokemon

Todo esse fuzuê sobre o Pokemon Go - leia-se Nintendo - na semana que estaria fazendo mudança pra trabalhar lá é meio cruel.

sábado, julho 09, 2016

Spiritual but not Religious

Religiosidade x Espiritualidade

É possível ser espiritual sem acreditar em Deus? Eu nunca aceitei uma divindade suprema (ou pelo menos nunca senti necessidade disto na minha vida) mas sempre acreditei na energia que nos conecta, em reencarnação, em espíritos, alma, em fazer o bem, em querer um mundo melhor sem buscar recompensa etc. Um exemplo dessa energia: você está num lugar cheio de gente e de repente começa a olhar pra uma pessoa. Já percebeu como logo logo ela vira pra você?

Acho que a religião está ligada em disciplina e regras (além de muito sangue) e a espiritualidade é mais livre e geralmente não dita regras de comportamento. Também busco um equilíbrio entre ciência e espiritualidade, e acima de tudo da vida prática. Não adianta só rezar sem fazer nada, né?

Hoje em dia há várias piadinhas sobre ser espiritual mas não religioso. O vídeo de baixo zoou com tudo que acabei de dizer, rsrsrs. A maioria dos sites em português criticam o tema, já os em inglês não tanto.



De um blog cristão (traduzido por mim): 


  • Muitas organizações religiosas exigem que você siga um conjunto externo de regras com base nas experiências dos outros. Espiritualidade incentiva você a buscar suas próprias experiências através da exploração interior e de descoberta.
  • Muitas religiões organizadas são sobre a profundidade de suas crenças. Espiritualidade é sobre a profundidade da sua consciência.
  • Muitas religiões organizadas pregam sobre Deus. Espiritualidade nos encoraja a alcançar a consciência de Deus.
  • Muitas religiões organizadas afirmam que o seu método de adoração é o único caminho a Deus. Espiritualidade sustenta que todos os rios levam ao mesmo oceano. Assim, quando surge um conflito, a religião tende a dividir enquanto a espiritualidade une.

O Preço da Espiritualidade não Religiosa

Faz um bom tempo que eu ando com muita vontade de ir pra um retiro ou fazer umas aulas, terapias mas com excessão de roupas e eletrônicos que são uma barganha, os serviços nos EUA são muito caros.

Por exemplo, acabei de ver o site de uma terapeuta de hipnose. A sessão de 2hs dela custa $300 (dólares)!
Os retiros não saem por menos de $2mil.
As aulas holísticas de um centro são em média $35.
As cerimônias de ayahuasca são em média $500 pro fim de semana. Claro que tem o Santo Daime que é muito mais barato mas passar um dia inteiro cantando sobre Jesus Cristo não é a minha praia.

Tá maluco! Só rico pode ser espiritual? O jeito é continuar na internet e YouTube.
Pelo menos encontrei um Vipassana que é baseado em doação.

Anjos

De vez em quando surgem anjos na vida da gente pra iluminar o pensamento. Um desses anjos me explicou hoje a noite o que está acontecendo na minha vida e agora TUDO faz mais sentido. Foi a melhor explicação do que tem se passado esses anos e nossa, que alívio me deu entender esse processo melhor.
Pela primeira vez em muito tempo, não estou me sentindo uma criatura ruim.
Desculpe manter tudo muito vago mas vou continuar a leitura desse processo.

sexta-feira, julho 08, 2016

Diversidade

Aqui no meu trabalho temos de tudo: latinos, asiáticos, negros, mulheres e brancos; assim como em quase todo o país. E ainda assim esse racismo tão forte em algumas regiões...
Eu lembro que no Rio a polícia também era bem mais agressiva em relação aos negros.
Essa brutalidade policial precisa parar.
#blacklivesmatter

quarta-feira, julho 06, 2016

Gratidão

Uns anos atrás comecei um caderno de gratidão. Dizem que ajuda a gente a ver o mundo com outros olhos. Até agora não senti o resultado porque a enxurrada de más notícias (em todas as áreas da vida) tem sido maior do que o coração aguenta. Estou tomando passos pra tentar melhorar dessa fase mas até agora não encontrei muita coisa pra me apoiar.
Já me afastei de todo mundo pra evitar problemas mas parece que eles (os problemas) têm me perseguido mesmo saindo pouco de casa. Esse atrito que rolou entre eu e meu amigo é difícil porque gosto muito dele e ele sempre me deu muita força mas agora, mesmo sem intenção, ele brincou com a minha vida e foi irresponsável.
Dizem que depois da tempestade vem a bonanza mas será que vai levar muitos anos? Quantos anos de karma ainda preciso pagar? É possível piorar ainda mais?
Desculpe as ladainhas aqui mas não me sinto à vontade pra desabafar em nenhum outro lugar.

Então ao que sou grata hoje em dia:
  • a Nina
  • passar o 4 de julho em Malibu
  • a amizade com a Fê e a Anacris, que me entendem, me aceitam, me dão uma baita força e gostam de mim mesmo no meio da crise

quinta-feira, junho 30, 2016

Indecisão

Indecisão é algo destrutivo.
Acho que geralmente preciso de alguém me dando um empurrãozinho senão a coisa não anda.
Primeiro todas as dúvidas em voltar pra Floripa nos últimos anos.

Hoje é outro dia que minha indecisão custou caro. Fiquei nessa de ir ou não ir pra Seattle. Basicamente estava entre uma nova cidade ou trabalhar de casa?

Alguma coisa me dizia que era hora de me mandar dessa cidade e ir pra um lugar mais limpo apesar de que escritório de 9 as 5 me deixa em dúvida. Eu, como saí da vida corporativa há muito tempo, estava confusa entre aceitar o trabalho deles e um trabalho em casa.

Daí o cara do YouTube (não é o YouTube, é uma empresa terceirizada e um grande amigo de muito tempo) ligou hoje dizendo que o trabalho era 50/50 chance de rolar, quando na semana passada ele disse que era garantido. Fique em dúvida entre os 2 trabalhos porque achei que ambos eram certos de acontecerem. Jamais optaria por um incerto ao invés de um que era 100%. Melhor pra mim porque
facilitou minha decisão e o frio na barriga de partir pra Nintendo. Dez minutos depois recebo um email da Nintendo dizendo que eles resolveram contratar alguém local pois não podiam esperar mais (depois de eu esperar 3 meses pela resposta deles). Eles jamais me deram um deadline da resposta.

Bom, agora resta esperar se o trabalho do YouTube vai rolar mas parece que cometi mais um grande erro na minha vida. Entre 2 grandes oportunidades, fiquei sem nenhuma. Não posso ficar chorando pelo leite derramado mas as consequências da minha indecisão ferram bastante com a minha vida.

Eu sempre fui tão desconfiada. Por que fui confiar na palavra do meu amigo?

Como é possível ser tão aventureira e ter essa enorme fobia de mudança? Será que existe uma maldição que não me deixa sair de Los Angeles? Vamos ver se consigo não ficar com raiva de mim mesma por ter jogado uma oportunidade como essa pela janela.

Bom, pelo menos, a Nina e o Dan agradecem, já que não vão ser mais separados. Ele estava arrasado com a ideia de ficar longe dela, ainda mais depois que ele perdeu a mãe dele e o Pimpy nesses últimos 2 anos.

Diário de Trabalho duma Imigrante

Hoje li esse artigo interessante sobre subempregos no exterior. Daí estava aqui a pensar com meus botões.
A primeira vez que voltei ao Brasil em 2004, todo mundo me perguntava o que eu estava fazendo em LA, ou seja, todo mundo queria saber se eu estava em "subemprego". Já vi muito essa "preocupação" no Brasil porque tem muito essa coisa de status social. 

1) Realmente ter se formado numa das melhores universidades do Brasil e ralar aqui não foi fácil mas com certeza aprendi muito com a experiência e sou muito grata por isso. Trabalhei em muita coisa diferente mas dentro de um ano eu já estava numa ótima companhia. Fiz muita coisa antes disso: restaurante, reforma, bilheteria de cinema, marketing, contabilidade etc. A maioria do pessoal que chegou na mesma época está bem. Um é um fotógrafo respeitadíssimo, outro diretor de cinema, outro gerente de uma empresa de médio porte e por aí vai. Aqui a idade importa menos quando se começa uma nova carreira.

2) Desde o início gostei muito da relação empregado-chefe. Me parece que há um respeito maior em ouvir as pessoas, em dizer por favor e obrigado, o que torna o trabalho bem mais prazeroso do que chefe que te chama aos berros (como aconteceu nos empregos em Floripa).

3) Quem trabalha em restaurante aqui não tem necessariamente o status de subemprego e nem é trabalho só de imigrante. Um garçom consegue se manter bem com a grana que recebe e frequentemente ganha melhor que um trabalho tedioso de escritório. O serviço ao cliente é bem valorizado por aqui. 

4) No fim das contas a maioria do pessoal que trabalhou comigo no jornal em Floripa acabou desempregado de qualquer forma e muitos passaram muita ralação pra encontrar algo que pague as contas. E o pessoal que veio pra cá ralou muito no começo mas as portas se abriram com o tempo. 

terça-feira, junho 28, 2016

Encruzilhada

Eu tô pirando com as 2 propostas. O YouTube ofereceu um salário melhor que a Nintendo, é um trabalho remoto que eu sempre quis e algo que eles buscam especificamente jornalistas mas alguma coisa me diz que é hora de sair de Los Angeles. Algo me diz que é hora de um recomeço. Eu estou bem cansada daqui e com vontade de trabalhar com uma equipe ao invés de sozinha. Mas daí tem a Nina...
Ha, lógico que as 2 propostas tinham que acontecer exatamente na mesma semana pra confundir bem esta garota indecisa.

segunda-feira, junho 27, 2016

Ghost

De um show na HBO:

It’s ok to be a ghost
It has its pleasures
You’re light
You float
You slip in and out unseen
There’s no love to lose
Or burden to be
You have so little to hold you down
You are free
Some pearls are never found
They hide under the sand on the ocean floor
No one knows they’re there
But the pearl knows
Maybe there was a time she wanted to be found
To be seen
And to be held
But now only hope hurts
I am my own secret
A secret kept by me.

sexta-feira, junho 24, 2016

Política Conservadora

Primeiro, o golpe no Brasil. 
Depois, um candidato como Donald Trump ganhando força nas eleições americanas. Um homem chovinista e contra a reforma na imigração.
E hoje a separação do Reino Unido da União Europeia. 

O terrorismo cresce e o conservadorismo também. 

Não quero nem mencionar a morte da onça Juma, que é um assunto à parte. 

Onde vamos parar?

Cerimônia do Fim

Provavelmente ainda não contei isso mas desde adolescente tenho tendência a ficar de vela. Os amigos vinham namorar na minha casa e na faculdade eu andava com vários casais. Raras ocasiões em que tive um amor mútuo e muitos dos ex casaram depois da nossa história. Talvez esse seja o meu dom: preparar os homens pra se casarem (com outra pessoa). Sempre percebi que essa coisa de amor não iria acontecer comigo.

No momento que a minha vida amorosa e a possibilidade de ter uma família morreram, a minha vida profissional deu uma guinada. Então vamos aceitar o que a vida me deu, né? Em amor raramente sou escolhida mas pelo menos em trabalho eu sou.

Reencontrei um amigo esses dias que é um cara super legal de bater papo: inteligente, presente e consciente. Ele estava me contando que ele e a ex, que são super amigos, acabaram de participar de uma "cerimônia de encerramento". Eles terminaram a história há um ano e mesmo ter sido na paz, acharam que era necessário um ritual do fim de um ciclo. Ele disse que foi lindo, forte, emocional e que eles cresceram muito com essa experiência.
Me intrigou. 
Fico feliz de ver amigos tão evoluídos. 
Eu tenho passado muito aperto em lidar com o fim do meu relacionamento como nunca senti antes, principalmente da forma e no momento que tudo aconteceu. Ficou a sensação de um fim mal acabado e mal resolvido, ainda mais que a comunicação foi feita por telefone e e-mail e não pessoalmente, olho no olho. Será que um dia vou conseguir superar isto? Será que um dia esse medo de me aproximar de outra pessoa vai passar? Será possível ainda acreditar em amor a essa altura? Só espero nunca mais passar por uma dor assim nesta encarnação.

Não é possível determinar quanto tempo, pois cada pessoa reage de maneira diferente, principalmente devido ao seu histórico de vida. Pessoas que quando crianças viveram a experiência do abandono, com certeza encontrarão mais dificuldades para enfrentar esse momento, pois o abandono da infância irá se somar ao atual, podendo fazê-la reviver o último com muito mais intensidade e sofrimento. Por outro lado, aquelas que viveram uma infância com afeto, sem perdas, terão mais recursos para enfrentar a separação.

AQUI a história de um casal chinês que fez uma cerimônia assim.

E AQUI uma história bem longa (em inglês mas se tiver interesse, use o Google Translate) de um término de casamento de 10 anos. Bonito, vulnerável, triste e sincero.

Não encontrei na internet mais exemplos em português mas encontrei várias páginas em inglês sobre cerimônias de término.

quinta-feira, junho 23, 2016

A saga de trabalho continua

Grandes decisões a serem tomadas essa semana:
  • Por um lado, a Nintendo em Seattle. Nova cidade, árvores, recomeço, trabalhar em equipe, ar mais puro, frutos do mar, estabilidade, aposentadoria, acordar cedo pra trabalhar.
  • Por outro, o YouTube. Temporário (longo), em casa, trabalho remoto, sol de Los Angeles, liberdade. Posso trabalhar com a Nina de qualquer lugar do mundo mas é um trabalho que pode durar um ano ou mais, ou não. 

Não tenho ideia do que fazer. São 2 ótimas opções e estou muito grata de ter duas empresas tão legais pra escolher. Se é pra trabalhar em corporação, que sejam umas interessantes, né? Eu sinto que preciso de um recomeço e a Nintendo ofereceu pagar por toda a mudança. Eu nunca tinha recebido uma oferta de trabalho com pacote, benefícios, bônus e tal.

Eu sempre disse que Los Angeles não é uma cidade pra se aposentar mas acho que o trabalho do YouTube tem mais a ver comigo. Agora a oportunidade de viver num lugar diferente se apresentou mas partir pra outro lugar sozinha novamente...numa cidade que está sempre nublada... muitos disseram que é difícil fazer amizades por lá. Só que como disse antes, um trabalho que possa fazer de qualquer lugar (YouTube) é bem tentador porque me possibilita ser livre. Só que depois da doença, estou pensando em tratamento médico.

Fico feliz de ser selecionada numa companhia grande sem indicação de ninguém, só com o meu esforço. Nunca achei que isso iria acontecer.

Ainda bem que ao menos consigo realizar as coisas que dependem só de mim. Que bom colher frutos de muita ralação de 16 anos como imigrante.

quarta-feira, junho 22, 2016

Viajar (2)

Hoje no trabalho me disseram que estou mais feliz. Isto porque viajar sempre me fez um bem danado, mesmo quando fiquei muito doente em Cuzco e em Paris. Eu sempre fiquei dividida entre ser uma pessoa responsável e trabalhar ou sair por aí pela estrada explorando esse mundão mas vai lá, comento sobre todos os anos nesse blog.

Não é exagero. Viajar alimenta minha alma e me energiza.

Na segunda, quando estava em Seattle, peguei o carro da minha amiga pra minha entrevista de trabalho. Apesar de dar um pouco de nervoso por estar com o carro de outra pessoa, foi muito bom sair sem rumo por uma cidade desconhecida.

A princípio, o motivo de ter ficado nos EUA foi a possibilidade de viajar mais já que as passagens daqui são bem mais baratas mas é difícil sair quando o aluguel é muito alto e não tenho férias mas preciso me programar melhor pois sair da rotina é fundamental pra mim.

Resolução

Pelo jeito, vou continuar aqui no calorzão de LA mas pelo menos tive a chance de conhecer Seattle. Fico feliz que uma resolução foi tomada porque ficar 3 meses nessa coisa de muda não muda é um pouco estressante. Quem agradece é a Nina que vai continuar com a companhia dos 2 pais e não vai precisar ficar 10 horas trancada em casa.

Passar 4 dias na casa da minha amiga me fez ver que seria melhor não morar sozinha. Aluguei essa casa na intenção de ser temporário porque estava de mudança pro Brasil e traumatizada de morar com um monte de gente mas foi bom ter companhia de pessoas esses últimos dias principalmente agora que ando tão isolada.

Então Los Angeles, vamos ver se eu curto uma praia nesse verão.

Seattle (1)

Passei os 4 últimos dias em Seattle e parece que escolhi o fim de semana certo pra isso. Los Angeles passou por uma onda de calor e ontem os termômetros chegaram a 42ºC. Eu gosto de calor mas sem ar condicionado é um pouco brutal. Escapei na hora certa.

Durante o verão em Seattle, o sol aparece entre 4:30/5 da manhã e 9:30/10 da noite. Fantástico! Raramente chega a ficar muito quente. A cidade me lembrou um pouco San Francisco, cercada de água por todos os lados e muito verde. Como é bom estar no meio de tantas árvores! O lugar tem fama de ser a cidade mais chuvosa do país mas acabei de dar uma pesquisada e está longe disso. Floripa, por exemplo, tem a média anual de 60 inches de chuva e Seattle, meros 36.15. Um pouco mais da metade da minha cidade natal. A diferença é que o sol praticamente não aparece durante 4 meses. 

Eu achava que Seattle era mais barato que LA mas na verdade nos últimos 4 anos, os preços aceleraram por lá por causa da indústria tecnológica. É lá onde fica a sede da Microsoft com 40 mil funcionários, além da Amazon e Starbucks. 

O que mais tem de bom lá? FRUTOS DO MAR fresquinho. Eita, coisa boa. 

Não fui muito conhecer os pontos turísticos como a Space Needle (cartão postal da cidade) mas vi vários visuais da cidade e passamos o sábado em Fremont por causa do Solstice Festival que já é bem conhecido. 

quinta-feira, junho 16, 2016

6ª Fase da Vida

E lá se vai mais um ciclo de 7 anos de vida, aquele que serviu pra aprender a cair no buraco. O próximo ciclo vai ser bem melhor, né?
Tenho esperança que sim.
Quem sabe nesse tenha mais felicidade, paz e amor?
O primeiro dia do novo ciclo foi muito melhor que o esperado. Encontrei vários amigos pra diversas refeições. Comi que me esbaldei durante 12 horas. Assim quem sabe volto ao meu peso normal? Tô quase lá.

terça-feira, junho 14, 2016

Aniversário

Aniversário chegando.
Nunca gostei de programar meu próprio aniversário. Ano passado passei o dia sozinha e foi extremamente difícil. Tive que lidar com várias coisas do passado, estava no auge da depressão e o fim das velhas amizades.
Esse ano eu queria fazer alguma coisa mas é dia de semana. Está meio frio pra praia. De repente vou fazer uma trilha se eu conseguir deixar a preguiça de lado e me animar de ir sozinha.

sexta-feira, junho 10, 2016

Metrô

Até 1953, Los Angeles oferecia uma ótima rede de transporte público que já tinha mencionado neste post. Décadas sem transporte público e agora, 60 anos depois, eles estão finalmente ampliando a via ferróviária.
No final de maio foi inaugurada a extensão da Expo Line, a linha que vai até a praia de Santa Monica. Desde dezembro de 2014, eu esperava ansiosamente por isso já que meu trabalho fica no lado da estação recém-aberta.
Alegria essa semana ler meu livrinho no metrô. Na hora do rush, leva quase o mesmo tempo.

Mudanças

Espelho, espelho meu
Existe alguém mais indecisa do que eu?

Frequentemente faço coisas sem pensar muito nas consequências. Eu mal estou trabalhando esse ano e praticamente minha carreira em festival chegou ao fim. Sinto que preciso de novos ares pois novas oportunidades geralmente me dão ânimo. Dois meses e meio atrás vi uma oferta de trabalho num site que eu assino há 10 anos mas que raramente mostrava algo interessante. Resolvi seguir em frente e ver onde ia dar, sem ter certeza de que é isso que eu quero. A única certeza que tenho é que preciso de mudanças e me afastar do passado.

Depois de testes e várias entrevistas nesses últimos dois meses, a empresa em Seattle está mostrando interesse em me contratar. Eu acho que era até aí que minha cabeça ia. Passar o desafio do processo de seleção de uma grande companhia e mostrar que eu consigo pois nunca me dei bem nessas entrevistas mas e agora?

Faz mais de um mês que estou pesando os prós e contras. Trabalhos corporativos de 9 às 5 me enlouquecem mas eu preciso de estabilidade. A empresa é legal mas eu não funciono de manhã. Sempre chego atrasada em tudo que é marcado antes das 10. Seattle tem árvores e natureza que eu preciso mas chove quase o tempo todo e é super frio. Eu não me dou bem com frio. Sempre fui tropical. Tem algumas coisinhas em LA que me prendem aqui: a possibilidade de levar minha cachorra pro trabalho, ganho verduras orgânicas de graça de uma organização, ganho almoço no trabalho, voo direto pro Brasil caso seja necessário, cidade ensolarada e alguns detalhes assim, apesar de que eu ando bem cansada da cidade. Acho que 15 anos foi suficiente. A companhia quer que eu me mude o quanto antes.

O que mais pega é a questão da Nina, minha pequena. Não consigo deixar minha cachorra sozinha mais de 10 horas por dia. Ela sempre me acompanha em todos os lugares. O Dan disse que ficaria com ela mas eu não quero me separar dela e não quero separá-la dele pois a gente divide a "custódia" há 10 anos. Tem funcionado bem essa coisa de dividir a responsabilidade.

Confesso que o meu gol mesmo é conseguir um trabalho que possa fazer parte online porque quero estar mais na estrada e não confinada num escritório (motivo no qual estudei jornalismo) mas eu tenho uma dificuldade tremenda em dizer não pra novas oportunidades.
Olha AQUI as novas tendências de trabalho.

Vou ou não vou?

sexta-feira, junho 03, 2016

Filmes e Discussão

Ontem um amigo de uma amiga alugou um loft pra mostrar o novo filme do Michael Moore, Where to Invade Next. Ao todo umas 50 pessoas, que ficaram até mais tarde pra discutir o filme e soluções para o país e a comunidade. Sempre curti esse tipo de atividade, ainda mais aqui nos EUA onde o americano é super mãos à obra.
Também assistimos um documentário brasileiro sobre agrofloresta (Vida em Sintropia), que eu já tinha visto. O organizador quer trazer pessoas que já estão com projetos interessantes pelo mundo e quer criar uma comunidade num prédio no centro de Los Angeles com animais, horta e energia solar.

Eu curtia muito os documentários do Michael Moore quando ele começou. Cheguei a escrever uma carta (não mandada) pra ele. Depois cansei um pouco do estilo e da agressividade. Esse filme fala de soluções que alguns países na Europa implementaram como, por exemplo, uma merenda balanceada nas escolas. Ele mudou um pouco o ângulo e mostrou mais soluções do que problemas. O fato é que concordo com tudo que ele discute nos filmes dele: sistema de saúde, educação, governo, distribuição de verbas, igualdade de gêneros, armas, violência, etc. Vejo os filmes dele e dá vontade de correr desse país apesar de que todo país tem seu problema.


terça-feira, maio 24, 2016

Quase no nirvana

Os monges budistas e padres católicos buscam uma aproximação com um mundo espiritual desistindo do desejo carnal. Então a essa altura eu já deveria estar alcançando o nirvana.
Preciso pesquisar mais sobre a felicidade dos eremitas.

Partida pelo Câncer

Eu sei que o número de mortes por câncer cresce a cada dia e noto que a cada geração acontece mais cedo. Nas minhas divagações, dos males o menor. Eu sempre achei que morte súbita era a melhor forma de partir mas ter chance de dizer adeus pras pessoas não é uma coisa ruim. Ter chance de se despedir desse mundo e se preparar pra uma nova jornada pode ser um presente. Uma chance de sair em paz.

segunda-feira, maio 23, 2016

Inteligência = solteirice?

Uma vez numa conversa com meu pai, comentei que a namorada dele na época não era muito inteligente e imagina o que ele respondeu?
- Melhor assim.

Existem vários artigos na internet em que pesquisas científicas apontam que muitas mulheres inteligentes ficam solteiras. É lógico que eu conheço mulheres inteligentes que não estão solteiras mas muito homem se sente inseguro ao lado de mulheres que tem carreira, cérebro e são independentes (mas daí reclamam daquelas que querem ser sustentadas e só estão atrás do dinheiro). Em geral, o corpo parece ser mais importante que o cérebro. Por isso, vejo muitas mulheres da minha idade que são fantásticas, lindas e super inteligentes e estão solteiras há muito tempo.

De repente eu sou um gênio, né? (Haha) Porque sempre tive a sensação que meu destino é ser solteira. Se eu gostasse de galinhar ou fosse lésbica seria ótimo mas romântica (e hetero) do jeito que eu sou... não é uma boa combinação.

Será que pra ser feliz com um homem tem que se abrir mão das suas próprias convicções e crenças e fazer tudo que ele queira? Eu já ouvi no passado, você nunca faz o que digo pra você fazer (quando eu não tinha pedido conselho).
Em relacionamentos à distância, por exemplo, geralmente é a mulher que tem que abdicar de tudo (emprego, filho, carreira, tudo) pra união dar certo. Raramente vejo o homem se mudar pela mulher mesmo que ela tenha uma vida mais estável. No caso da minha mãe, ela largou absolutamente tudo (filho, casa própria, bom emprego) e no final ficou sozinha e sem apoio pois não conseguiu se adaptar no novo país. No meu caso, rolou uma mudança dele temporária só pra dar um tempinho da cidade mas dentro do prazo dele sem intenção de resolvermos a questão juntos respeitando o meu tempo e dando apoio pra mudança.

Talvez por isso, mulheres inteligentes ficam sozinhas? Por que não querem se anular completamente pra virarem esposas?

Alguns artigos:
Revista Exame 
Por que as mulheres inteligentes tendem a ficar solteiras?
Medical Daily
Elite Daily

Transgênero

Esse fim de semana fui numa festa onde o tema era Glam Rock - Gender Bender, sobre os anos 70 quando vários músicos assumiam uma personalidade andrógina. Antes de mais nada, só em Los Angeles você vai numa festa num apartamento pequeno e todo mundo está na maior produção e coincidentemente ou não, várias mulheres na festa tinham cabelo curto e uma energia bem masculina e os homens vice-versa.

E continuando no tema, há uma grande polêmica esse ano sobre uma lei que aprova o banheiro unissex já que há uma mistura de gêneros cada vez maior. Existem mais transsexuais assumidos hoje em dia e o que a gente conhecia como masculino ou feminino tem mudado bastante.
Exemplo: confira o Instagram de Ruby Rose.

Um dos meus alunos me perguntou como fica o português com essa mudança de tratamento de gêneros. Não sei. Como fica? O inglês já é uma língua bem andrógina. Então fica fácil. Mas o português? 

domingo, maio 22, 2016

Cancer Summit

Eu sempre disse desde criança que câncer é quando suas células ficam tristes.

Essa semana tenho assistido um seminário online sobre câncer com mais de 30 palestras com naturopatas. Grande parte das informações que ouvi não são novidades, já que eu pesquiso bastante sobre a doença.
Me convenço cada vez mais que a causa do meu câncer foi emocional. Eu raramente fico doente porque tenho uma vida saudável e eu estava passando por muito stress. As raras vezes que fiquei doente na minha vida adulta foram causadas pelas emoções.
Uma das entrevistas que eu mais gostei foi com Iva Lloyd que fala do peso que a emoção tem na saúde e ela mencionou que o cólon está relacionado com o sentimento de se sentir protegido e cuidado. Realmente a única vez que tive essa segurança na minha vida foi num relacionamento de 10 anos atrás. Geralmente sou eu que estou cuidando.

quarta-feira, maio 18, 2016

Ser carnívoro ou não?

Hoje em dia sou pesceteriana (é isso?), ou seja, carne só de peixe aqui e ali.
Uma vez ou outra, muito esporadicamente, eu como algum outro tipo de carne. Levei isso mais a sério depois do câncer. Pesquiso muito sobre prevenção da doença e praticamente tudo o que eu li até hoje indicava que a carne é especificamente ruim pro câncer no intestino.

No entanto, acabei de ouvir uma entrevista com a médica Natasha Campbell explicando sobre o corpo mal nutrido e que precisamos da proteína animal para um sistema imunológico forte e que a proteína vegetal não é muito útil pro nosso organismo.
Ela explica que os alimentos de origem animal alimentam o corpo e os alimentos de origem vegetal limpam o corpo.

E agora, José?

Mesmo que isso seja verdade, não dá pra encarar a carne que se vende hoje em dia cheia de antibiótico, hormônio e alimentada por grãos ao invés de grama.

Mas que colocou caraminhola na cabeça, isso colocou.


segunda-feira, maio 16, 2016

Cicatrizes

Essa cicatriz já sarou. Falta curar a interna. 
De repente enquanto o processo continua, a gente vai guardando as citações:

You are going to be hurt in this life.
Your greatest responsibility to the world is to take tremendous care of your wounds so they do not become scar tissue over that ever-loving heart of yours.
do meu amigo Zac Carroll, meu primeiro amigo no Burning Man em 2001

Você vai se machucar nesta vida.
Sua maior responsabilidade no mundo é tomar muito cuidado de suas feridas para que não se tornem cicatrizes sobre o que o eterno amante que é seu coração.

Não deu. A cicatriz se formou.

Transformação

"Real transformation means giving up one form before you have another. It requires the willingness to be nothing for a while." - by Orson Bean. 

Transformação real significa desistir de uma forma antes de ter outra. Exige o desejo de ser nada por um tempo

Estava conversando com uma amiga sobre a conclusão que cheguei neste estágio que está durando anos. A lagarta quando está no casulo não cria somente asas, ela se liquidifica até se transformar num novo ser. Não se identifica o animal no meio do processo de metamorfose.
É isso!
O processo continua...dentro do meu casulo.


domingo, maio 15, 2016

Corpo Feminino

Já escrevi sobre isso muitos anos atrás mas é hora de voltar ao assunto.

O instinto da mulher precisa viver em comunidade mais do que o homem e por isso busca aprovação exterior. Às vezes fico triste de ver como a mulher é tão crítica com o próprio corpo e tem dificuldade de aceitar suas pequenas imperfeições. Viajei com uma amiga que passou o tempo todo criticando o próprio corpo. Reclamava da bunda, do rosto, da coxa e sei lá mais o que.
Eu me preocupo com isso. Por que denegrimos nossa própria imagem? Por que todas querem alcançar um padrão único de beleza, de corpo perfeito (como se isso existisse)?
Não importa o quão belas são, praticamente todas que eu converso tem um problema com o corpo, seja uma marquinha, celulite, qualquer coisinha.
E ISSO é NORMAL!
A minha auto-estima nunca foi aquilo tudo mas na questão física me aceito como sou: essa baixinha quase anã com voz de criança, com cicatriz, lipoma, sinais e sei lá mais o que.
Tenho amigas mais cheinhas que são super sexy. Então a beleza e sensualidade, acredito eu, está mais na atitude do que na aparência.
Se aceite como é, para sua própria felicidade. Não se importe com suas imperfeições. Porque perfeição é uma utopia (chata).

Aqui dicas para gostar melhor do seu corpo.

sábado, maio 14, 2016

Blog

Uns meses atrás fiz um post sobre coisas que eu faço para evitar desperdício. Hoje adicionei mais um item. Aos poucos a lista cresce.

domingo, maio 08, 2016

Personalidade Myers Briggs

Você já ouviu falar do teste de personalidade Myers Briggs? É um teste baseado nos estudos de Carl Jung com 16 tipos de personalidade em 4 categorias. No Brasil, eu nunca tinha ouvido falar mas aqui as pessoas o mencionam com frequência.

As 4 categorias são:
  • Mundo favorito - extrovertido e introvertido
  • Informação - sensorial e intuição
  • Decisão - razão e sentimento
  • Estilo de Vida - julgamento e percepção
Como comentei sobre liberdade no post anterior, adivinha o que deu?

ENFP - A Ativista (extrovertida, intuitiva, sentimental e perceptiva)
Espíritos livres, criativos, sociáveis e entusiasmáticos, sempre encontrando uma razão para sorrir. 

Cruz credo! Olha a parte de relacionamentos: 
Relacionamentos de longa distância são bastante comuns entre ENFPs, pois eles vêem a distância física como apenas uma outra ideia, que não é párea para conceitos como o amor. Isto dá-lhes a oportunidade de demonstrar seu compromisso, tanto por permanecer fiel apesar da separação física, e com propostas de esforço para surpreender os seus parceiros, cruzando essa distância num piscar de olhos. Estas são demonstrações do mistério, idealismo e profunda emoção dos ENFPs, e tais esforços muitas vezes mantém as chamas de um relacionamento queimando intensamente. Se os seus parceiros não são capazes de retribuir esses atos de emoção e devoção, ENFP provavelmente vai acabar se sentindo infeliz e mal compreendido.
Naaaaaaao! Nunca mais. Duas vezes na minha vida foram o suficiente pra aprender a lição (3 se contar com o relacionamento da minha mãe). Nunca mais quero passar por esse stress na minha vida pra no final das contas ser a última das prioridades (inserir baita trauma aqui).

E ainda tem mais:
ENFPs vão com tudo nos relacionamentos, e se este acaba apesar de seus esforços, eles podem acabar atormentados com perguntas sobre por que o relacionamento fracassou e o que poderia ter feito diferente - sem um apoio, esses pensamentos podem esmagar a auto-estima dos ENFPs e afundar em depressão.  
Depois de um momento como este, ENFPs podem tornar-se relutantes em se abrir e se comprometer, e pode levar anos para um parceiro descobrir sua profundidade desconcertante e intensidade, falsamente acreditando que o entusiasmo de ENFPs aparentemente significa que eles estão abertos. A verdade é que a espontaneidade dos ENFPs, a aparente inconsistência que o olho destreinado vê, não é um produto de leviandade ou falta de profundidade, mas o oposto - é uma unidade para expressar idéias sobre uma mística, todo-abrangente de energia, nos confins de um mundo físico, e subjacente a isso tudo é o princípio de união do amor, expresso em muitas maneiras diferentes, mas inabalável e infinito em seu núcleo.

Ô louco! Eu não esperava ler isso tudo quando fiz o teste. Mais claro que uma sessão de terapia (e ainda estou na segunda página dos resultados).

Bem interessante esse teste. E você, qual o seu?

sábado, maio 07, 2016

Madonna

Através da rebeldia e da inconformidade conquistamos mais direitos, mais valores, mais respeito, mais liberdade... Talvez por isso, sempre circulei no meio de artistas pois não se importam em seguir os parâmetros da sociedade. Fora desse meio, toda vez que eu agi ou me vesti de uma forma diferente, fui zoada e criticada (principalmente na minha cidade natal). Desde criança, meu maior presente foi a liberdade de ser, agir e pensar. E assim sou.

Eu já tive fases de adorar a Madonna e de desgostar da Madonna. Hoje simplesmente respeito o trabalho dela e ela como pessoa que diz o que quer.

"Nós sempre lutamos e continuaremos lutando por direitos civis e gays ao redor do mundo. Quanto aos direitos das mulheres, nós ainda estamos na era das trevas. Meu vestido no MET Gala foi uma manifestação política, assim como uma manifestação fashion. O fato de algumas pessoas ainda acreditarem que uma mulher não pode expressar sua sexualidade e ser aventureira após uma certa idade é a prova de que ainda vivemos em uma sociedade etarista e sexista. Eu nunca pensei de uma forma limitada, e não vou começar agora. Nós nunca estaremos provocando mudanças, a menos que aceitemos os riscos de sermos destemidos e passarmos a percorrer a estrada menos percorrida. É assim que mudaremos a história. Se você tem algum problema com a forma como eu me vesti, isso é apenas uma reflexão do seu próprio preconceito. Eu não tenho medo de abrir caminhos para as garotas que vêm depois de mim. Assim como Nina Simone disse uma vez, a definição de liberdade é ser destemido. Eu continuo rebelde e sem arrependimentos ❤️ nessa vida e em todas as outras. Se junte à minha luta por igualdade de gêneros!"