sexta-feira, dezembro 09, 2016

Dezembro

Essa época de fim de ano e Natal coisa e tal sempre foi um pouco difícil pra mim. 
Quando era criança e morava no Rio, eu ia pra Floripa nas férias e ficava com os meus avôs mas eles dormiam cedo no dia 24. Pra não ficar sozinha, às vezes meu tio me convidava pra passar na casa da família da esposa, que por sinal era minha prima também (pois é, a gente era relacionada por parte de mãe e pai). Daí todas as crianças ganhavam presentes maravilhosos e eu ficava só assistindo. Vou te dizer que como criança isso era foda. 
No dia seguinte a família se reunia em algum restaurante e sempre acabava em algum drama, alguma choradeira. O vô não era de dar presente, só dinheiro. Então eu nunca tive Natal tradicional com família abrindo presente. 
Só tive alguns Natais assim com família, árvore, ceia e presente. Dois na Alemanha com a família do meu padrasto e dois com a família do ex. 

Ano passado dei um jeitinho de fugir com minha amiga e passei o Natal no aeroporto rumo a Cuba. 

Esse ano ainda não sei o que fazer. Por aqui as canções de Natal tocam em todos os cantos, aí faz a gente pensar ainda mais em família (ou a falta dela). 

terça-feira, dezembro 06, 2016

Cães x Gatos

Tem gente que prefere cachorro e tem gente que prefere gato. Um não tem como mudar a opinião do outro. É como democráticos x republicanos.
Depois dessa semana definitivamente sou 100% cachorro. Essa deve ser a sétima vez que estou cuidando de gatos e não pretendo cuidar nunca mais. São três nessa casa. Dois demoraram pra se aproximar mas agora são docinhos. O terceiro é o que mais peita os cachorros e fica em volta desde o primeiro dia. Parecia um fofo. Essa semana descobri que ele é o diabo em encarnação de gato. Eita bicho desgraçado! Depois de todo carinho e atenção que dei, mijou na cama 2x (até agora) e está mijando pela casa toda todos os dias e pior, na minha frente. Além disso, estou sem dormir porque ele me acorda super cedo.
Agora estou dormindo num sofá do escritório (que também tem cheiro de mijo de gato).
Já vi que gato não é pra mim:
- Não obedece
- Vários vomitam pra caramba
- Se sair uma horinha da rotina, socorro
- Extremamente teimoso (lembro dos vídeos de gato derrubando copos)
- Traiçoeiro
- Vingativo
- Caixa de areia dentro de casa não é comigo
- Me acorda pra comer (quero distância de bicho que me acorda)

A vantagem é que não precisa ficar cuidando tanto mas quem disse que não gosto de cuidar e levar comigo pra todos os cantos?

Não vejo a hora de voltar pro meu cantinho. Não tem coisa pior que cheiro de mijo de gato.
Mais duas semanas...

quarta-feira, novembro 30, 2016

Fidel

Eu ia comentar sobre o Fidel mas pra que, né? Já foi tão discutido no Brasil.
Uns admiram a Revolução e o que o Socialismo trouxe. Outros só pensam no fato da ditadura e o horror do Socialismo.
Será possível Socialismo sem ditadura? Acho que vários países europeus mantém uma certa mistura de Capitalismo e Socialismo e isso pra mim seria ideal.

Que semana!

Tristeza junto com o resto do Brasil sobre a queda do avião da Chapecoense. Tanta gente no auge da carreira. Vários dos meus amigos perderam colegas de trabalho, já que havia 21 jornalistas e de quebra descobri que um colega de escola no Rio de Janeiro tinha virado jornalista e estava no avião. Estou pasma. Falta de combustível é algo que acontece com o seu primeiro carro aos 18 anos (nunca passei por isto) mas um avião com 80 pessoas no século XXI? Que tamanha irresponsabilidade! Essa foi a maior irresponsabilidade que testemunhei num acidente de avião.
Eu e os 2 minúsculos cachorros com
menos de 2kg que querem colo o dia todo.

Na parte pessoal, estou passando o mês na casa de uma amiga cuidando dos 6 animais dela. Me ajustando a rotina da bicharada de horário de comida, remédio e muito colo. Gente, como toma tempo! No primeiro dia um caos. A amiga, que foi pra Tailândia, tinha esquecido o visto aqui. Acordo meio grogue pra procurar e piso em vômito de gato, depois vou colocar minha meia e estava mijada. Chego num lugar pra buscar o outro cachorro e esqueço a chave em casa. Eita!
Tudo se normalizando essa semana e eis que a noite passada encontrei um PERCEVEJO (bed bug) na cama dela. Ouvi muitos dizerem que é o maior pesadelo que se pode enfrentar em casa pois é muito difícil se livrar desses vampirinhos nojentos. Eles se alojam em tudo: livros, colchão, roupa, sapatos e podem se esconder sem se alimentar por um ano. E agora? Tenho que fumegar a casa toda dela e as minhas roupas. TUDO! Não posso nem passar em casa pra buscar mais roupa com medo de que eu carregue esses bichos comigo. E o pior é a ideia que ela vai ter de que eu trouxe essas pestes pra cá. E se entrou na minha casa também? Vou ter que gastar uma fortuna em dedetização e provavelmente jogar muita coisa fora. Que estresse!
Hoje pra continuar, descobri que minha cachorra está com artrite possivelmente causada por obesidade. 
Saravá!

sexta-feira, novembro 25, 2016

Invenções

2016
Quem não pensava que a essa altura já teríamos as várias invenções dos Jetsons?
Agora a melhor invenção pra mim seria aquela máquina do filme Eternal Sunshine of a Spotless Mind. Adoro aquele filme. Seria muito bom apagar certas memórias e pessoas da nossa vida e seguir em frente com a mente e o coração mais livre.

quarta-feira, novembro 23, 2016

Standing Rock (3)

Estou aqui há uma semana querendo escrever sobre Standing Rock mas acho que ainda estou processando tudo politicamente, pessoalmente e espiritualmente. É tanta coisa pra falar sobre as reuniões que participei, a vida no acampamento, os protestos, as cerimônias, o conflito branco x índio... Eu queria muito ter ficado mais tempo lá.
Na minha bolha facebookiana, é bom ver a quantidade de pessoas engajadas nessa causa e em união com a tribo Sioux. Toda semana vejo um novo grupo de conhecidos enfrentando os 2 dias de viagem pra ir ajudá-los e entregar doações, mesmo no frio de -6ºC (eu peguei -1ºC).

segunda-feira, novembro 21, 2016

Chove Chuva

Nunca pensei que um dia gostaria tanto de chuva. Domingo, friozinho, um vinhozinho e chuva lá fora. Que barulhinho bom! Só falta uma lareira.
Morar numa cidade eternamente ensolarada tem disso. A gente sente muita falta da chuva.

domingo, novembro 20, 2016

Nossa Intolerância

Às vezes penso na dificuldade em lidarmos com as diferenças dos outros: raça, língua, tamanho, ideologias, educação, sexualidade, religião…praticamente tudo na vida. 
É difícil ver a vida com os olhos de outra pessoa e muitas vezes a gente julga alguém sem considerar a história pessoal e cultural de cada um. 
Como imigrante, eu lido com isso diariamente. Hoje vi um comentário de uma amiga enlouquecida porque o cachorro do vizinho estava latindo muito, o que no Brasil (ou aqui no meu bairro) é algo super comum. 
Lá veio o pensamento: gente, não é grande coisa. 
Mas depois me dei conta que na cultura do americano branco isso é grande coisa porque eles mantém os animais dentro de casa e não suportam ouvir latido intermitente de cachorro. É uma reclamação bem comum que ouço de muita gente. 
O mesmo acontece com a bagagem que trago por ter crescido em outro país. Às vezes tento explicar essas diferenças mas é difícil ver a questão pelos meus olhos porque eles não viveram aquela realidade. 

No final todos cometemos intolerância sem perceber. 

sexta-feira, novembro 18, 2016

Qual o próximo destino?

Após a vitória do Trump, a falta de trabalho e a atual dificuldade de integração com os americanos, me parece cada vez mais claro que é hora de encontrar um novo destino. Não sei explicar bem mas neste último ano estou me sentindo mais estrangeira que nunca. Em toda a minha vida adulta, meus amigos sempre foram a minha família mas agora que vivo mais eremita, às vezes dias sem sair de casa, sinto necessidade de novos ares.
Mas onde? Alô Universo, manda um sinal de fumaça.

Contato direto com os representantes

Uma curiosidade é que as pessoas sempre postam o telefone dos gabinetes políticos para as pessoas contactarem como forma de pressão dos cidadãos. As pessoas ligam cobrando representação em  inúmeras questões como o caso da Dakota Access Pipeline ou a nomeação de Steve Bannon no governo Trump, um declarado supremacista branco. Se ajuda ou não, eu não sei mas acho boa essa participação maior dos eleitores.
Também vejo um maior envolvimento das pessoas em várias votações de projetos nacionais, estaduais e municipais. Democracia é algo muito relativo pra mim mas esses são exemplos de cidadania num processo democrático.

Povo Solidário

O americano preza muito a individualidade mas ainda assim é bom ver tanta gente engajada em problemas sociais.
Muita gente incluindo políticos e artistas estão em solidariedade com Standing Rock. A quantidade de doações é impressionante. Além de comida, roupas, câmeras, material de acampamento,etc, um dos acampamentos já recebeu 2 milhões de dólares.
Essa semana uma amiga aqui em Los Angeles buscou um lugar pra voluntariar no Thanksgiving semana que vem e todos os lugares estão lotados e não precisam mais de ajuda.
Ainda tenho amigos que voluntariam em canis da prefeitura e inúmeros tipos de ONGs e além disso, muitos doam dinheiro pra várias organizações.

Mês passado organizei uma ação pra arrecadar sapatos pra ONG Soles4Souls que distribui para países muito pobres como o Haiti. Meu gol era 100 pares e felizmente consegui juntar o dobro. Muito mais do que o esperado. Hoje vou lá entregar. Assim ajudamos os amigos a se livrarem das coisas extras e também as pessoas que não tem condições de comprar um sapato.

quarta-feira, novembro 16, 2016

Políticos

Apesar do momento desastroso na política americana, uma coisa boa nesse país é que ainda existem políticos dignos de respeito e admiração e muito menos corrupção que no Brasil. Um grande exemplo disso é Bernie Sanders que fez sua campanha com dinheiro de doações pessoais ao invés de corporações. Ele tem uma história de luta por direitos humanos, militante desde novo e batalha por uma política mais socialista com melhoria na educação, saúde, mais direito aos trabalhadores e política ambiental. Hoje fez uma declaração a favor de Standing Rock.
É bom ver que nem todos são corruptos e pró-guerra.