terça-feira, setembro 19, 2017

Urso em Los Angeles

A temporada de terremoto e furacão na América do Norte continua. Na noite passada, um terremotinho de 3,6 que mais uma vez não senti mas a notícia mais sensacional desta semana foi um amigo que mora mais perto das montanhas aqui em Los Angeles. Ele foi acordado às 3 da manhã por um briga de ursos no pátio ao lado do quarto dele. Num certo momento, o urso esbarrou na porta do quarto e abriu e ele meio acordado pulou pra fechar na hora. Imagina a possibilidade de 2 ursos brigando dentro do seu quarto?
Na hora que ele escutou os grunhidos, pensou: será urso? Só alguém que cresceu no Alasca pra chegar tão rápido a essa conclusão. Olha só o estrago!


quarta-feira, setembro 13, 2017

Energia Pesada + Boa Novidade

Como manter o equilíbrio quando a energia em volta está pesada?

De um lado a natureza com incêndios em toda costa oeste e furacões devastadores. Do outro, 7 pessoas no meu círculo de amigos e conhecidos morreram esta semana, sendo que 3 de câncer e 2 suicídios. Além disso, vários amigos tiveram um momento difícil no Burning Man (é onde muita gente acaba processando os desafios da vida) e outros amigos postando sobre depressão esta semana.
Na vida pessoal, há 3 meses tento fazer um exame importante e cada semana o consultório dá uma desculpa esfarrapada diferente. Haja paciência!

Apesar de um outro desafio pessoal, estou em paz. A boa novidade é sobre aquele trabalho com o YouTube que me impediu de mudar pra Seattle no ano passado. Após 15 meses, o emprego finalmente rolou. Agora é só meio período mas comecei semana passada e o legal é que tem um pouco de jornalismo também. A vantagem é que posso trabalhar de casa e a desvantagem é que não tenho nenhum benefício mas tudo bem, já estou acostumada.

Desafio: aprender a focar mais dentro de casa.

segunda-feira, setembro 04, 2017

Inspiração

Hoje termina mais um Burning Man e pela primeira vez digo com convicção que não tive um pingo de vontade de ir. Uma grande diferença em relação ao ano passado quando eu estava super ansiosa.

Mas esse post não é pra falar disso. É pra falar que durante a semana um amigo, que resolveu não ir esse ano, postou momentos que marcaram a experiência dele em 6 anos de festival. Uma das últimas fotos é com a ex-namorada dele. E com isso veio uma conversa entre a ex e a atual namorada que são pessoas que admiro imensamente. Isso pra mim é um grande exemplo de evolução da consciência humana. Os três têm muito respeito um pelo o outro, mesmo discordando em algumas atitudes. Um dia eu chego lá mas já fico feliz de ter a oportunidade de conhecer gente assim. Esse mundo do Burning Man despertou em mim pontos de vista em que eu já acreditava mas que me achavam louca por isso. Lá, vi que os padrões convencionais nem sempre são os melhores e que não há nada de errado em pensar diferente do tradicional. Somos louquinhos, excêntricos, liberais mas e daí? O fato é que a maioria está sempre buscando crescer, seja como pessoa, nos relacionamentos, na carreira ou correndo atrás de seus sonhos. Não é assim que a gente cresce? Desafiando os parâmetros da sociedade? Só preciso ter cuidado pra não me frustrar com os tradicionalistas caretas.


He: No burn-week series would be complete if I didn't photographically acknowledge AM, as my former partner, dear friend, and the one with whom I began all these dusty adventures with.  
Ex: Thank you D. for this beautiful acknowledgement. What a journey it has been! Six years ago was our first burn... time...what a slippery mistress! No words will ever be able to express my gratitude for all that we have given one another...all the lifetimes within this one lifetime we have shared WOW ... imagine us in another 10...20...30 years! Here's to all the adventures we have in store and all the epic ways we will bring love and light to this planet through our allegiance You rock my socks. I love you and L. So happy you two are happy. Here's to meeting my king! Gonna be (and it already is) sooo good. ^.^  
Atual: I love you too, for both the man that I love that you helped create, and the woman you are becoming today.  

Ex:  L, it's such a wild beautiful thought...when we love someone...we are loving all of their previous lovers/partners because they are inextricably interwoven and responsible for how the person that you love is in the present moment. Each relationship carving the stone of this exquisite sculpture that you get to revel in and appreciate. Or perhaps a garden, something alive is a better metaphor hahaha...each relationship tending the garden from which its fruits we get to savor and enjoy and its flowers smell and delight in... We are because others are. I am because you are.  What a precious world it can be when we have this perspective of honoring past relationships instead of fearing and denying them. You have been instrumental in demonstrating a woman who is so generous and comfortable with her partner and his other beloveds whether romantic or not. Such a trust you have seemed to possess. Regardless of that trust always being honored, what a quality I admire and strive to cultivate.
 
Atual: It warms my soul so to have you acknowledge and bear witness to that aspect of myself. I treat others as I wish I'd been treated. To deny you, your past romantic love, or your friendship would be to deny an inextricable filament of his golden soul, and I cannot, will not do that.
Over D's bed there is a giant print of you overlooking a cliff rock thing, taken by Sequoia. As I sat on his bed a couple weeks ago, I realized he and I were exceedingly fortunate that it doesn't occur to either of us to care that, technically, there is his ex-girlfriend in large print, looking exquisite, over his bed. It's been there for a couple years now, and I realized that that could be something that bothered someone, somewhere, and it didn't cross my mind that it even *could* bother me until that moment. It's a gorgeous photo of our friend (taken by another amazing friend) who happens to be his ex. That's the world we choose to live in. That's the world I want to live in. I love you. Thank you for seeing me, and thank you for all your grace and beauty. You didn't have to choose that, and you did.

Google translate:
Ele: nenhuma série do Burning Man seria completa se eu não reconhecesse fotograficamente A.M., como minha parceira anterior, querida amiga, e aquela com quem comecei todas essas aventuras no deserto.

Ex: Obrigada D. por este reconhecimento bonito. Tem sido uma grande caminhada! Seis anos atrás foi o nosso primeiro Burning Man ... tempo ...  Nenhuma palavra será capaz de expressar minha gratidão por tudo o que nos damos um ao outro ... todas as vidas dentro desta vida que compartilhamos UAU ... imagine a gente em 10 ... 20 ... 30 anos! A todas as aventuras que temos, vamos trazer amor e luz para este planeta através da nossa fidelidade. Você é demais! Amo você e L. Fico feliz que vocês dois estejam felizes. Ainda vou conhecer meu rei! Vai ser (e já é) tão bom. ^. ^

Atual: eu também te amo, tanto pelo homem que eu amo que você ajudou a criar, como pela mulher que você está se tornando hoje.

Ex: L, é um pensamento tão bonito e selvagem ... quando amamos alguém ... estamos amando todos os seus amantes / parceiros anteriores, porque eles estão intrincados entrelaçados e responsáveis ​​pela forma como a pessoa que você ama é no momento presente. Cada relacionamento esculpindo a pedra desta escultura requintada que você aprecia. Ou talvez um jardim, algo vivo é uma metáfora melhor hahaha ... cada relacionamento que cuida do jardim do qual seus frutos conseguimos saborear e desfrutar e o cheiro de suas flores e deleitam-se ... Somos porque os outros são. Eu sou porque você é. Que mundo precioso pode ser quando temos essa perspectiva de honrar relacionamentos anteriores em vez de temer e negar. Você foi instrumental na demonstração de uma mulher que é tão generosa e confortável com seu parceiro e seus outros amantes, seja romântico ou não. Tamanha confiança que você parece possuir. Independentemente dessa confiança sempre sendo honrada, é uma qualidade que admiro e esforço para cultivar.

Atual: Aquece minha alma ver que você reconhece e presencie esse meu aspecto. Trato os outros como eu gosto de ser tratada. Negar você, seu amor romântico no passado, ou sua amizade seria negar um filamento inextrincável de alma dourada dele, e não posso, não farei isso.
Acima da cama do D. há uma fotografia gigante de você olhando para uma pedra num penhasco, feita pela Sequoia. Quando estava sentada na cama dele algumas semanas atrás, percebi que ele e eu somos extremamente afortunados de que não há nenhuma preocupação, tecnicamente, de que é a ex-namorada dele num quadro enorme, maravilhosa, sobre a sua cama. Está lá há alguns anos, e percebi que isso poderia ser algo que incomodaria alguém, em algum lugar, e não me passou pela cabeça que * poderia * me incomodar até esse momento. É uma foto linda da nossa amiga (tirada por outra amiga incrível) que por acaso, também é a ex dele. Esse é o mundo em que escolhemos viver. Esse é o mundo em que quero viver. Eu te amo. Obrigada por me ver, e obrigada por toda a sua graça e beleza. Você não precisava fazer isso, e você fez.


Eu não sei quanto a vocês mas achei linda essa comunicação entre elas, essa liberdade entre eles, confiança, esse nível de conforto e segurança. Esse é o mundo que quero viver também.

sexta-feira, setembro 01, 2017

Mistura de Estações


O famoso congelante verão de São Francisco é mais frio do que o inverno em Floripa.
Eu nunca vi um verão como o de SF. A única época que faz tempo bom naquela cidade é setembro e outubro.

terça-feira, agosto 29, 2017

Eclipse Solar

"Ser espiritual não tem nada a ver com o que você acredita e sim com o seu estado de consciência."
Eckhart Tolle

Foto: Jamal Eid


Eu confesso que não estava com a menor vontade de ir para outro festival, principalmente um tão longe e sem que eu estivesse envolvida na produção. Cheia de coisa pra resolver aqui e sem muito trabalho. No entanto resolvi não ser furona e encarei a saga.

Ao invés de ir com a minha van, fomos os transportadores de um motorhome pra um amigo usar lá. Assim economizamos a gasolina de 2000 milhas (ida e volta). A intenção era parar em alguns parques nacionais e águas termais mas não tivemos muito tempo, a não ser umas poucas paradas rápidas. Eu nunca tinha dirigido ao norte de São Francisco, então finalmente realizei o antigo sonho de ver o Mt Shasta no norte do estado, um vulcão ainda ativo sempre nevado.

Fomos até Portland - cidade principal do Oregon - pra buscar uma turma e o cara que alugou o veículo e daí partimos para o Oregon Eclipse Festival. Addendum: minha mãe diz que quero morar em todo lugar que visito. Verdade. Amei Portland, uma cidade cheia de árvores e um povo super educado. A entrada pro festival foi complicada. Dirigimos a noite toda numa fila de vários quilômetros que levou 14 horas até a entrada. 

Esse festival tinha me chamado a atenção desde o ano passado pois contou com a colaboração de 8 festivais no mundo incluindo o Universo Paralello no Brasil. Além disso, a arte e a música do Symbiosis Gathering sempre foi de primeira. 

A primeira coisa muito boa deste festival foi o meu acampamento. Há muitos anos ando com a necessidade de encontrar um pessoal mais alinhado com meu estilo de vida e pensamento. Acho que isso finalmente está acontecendo. A harmonia do grupo foi mágica e é tão bom se sentir parte de algo assim novamente. 

Mas vamos ao que interessa: o eclipse. Sinceramente não tinha me dado conta da dimensão e sensação que é ver um eclipse solar total. Eu já tinha presenciado um eclipse total em Floripa em 1994 durante um campeonato de surf mas não tenho a mínima lembrança do impacto causado como foi dessa vez. As cores no céu, a energia, as estrelas em pleno dia, a possibilidade de olhar pro sol por 3 minutos, a cerimônia dos índios Sioux, os protetores da água e 50 mil pessoas. As lágrimas escorriam sem parar e jamais vou esquecer esse momento.

Realização total e agora quero virar uma "eclipse chaser" presenciando outros eclipses pelo mundo. Próximo: Chile/Argentina em 2019

sábado, agosto 12, 2017

Honestidade Radical

Essa semana fui num workshop muito bom sobre honestidade radical. São grupos espalhados pelo mundo - de uma certa forma não deixa de ser uma comunidade - baseados no livro Radical Honesty do Dr. Brad Blanton.
Quem me conhece sabe que eu não tenho problema com honestidade mas ultimamente tenho mantido mais as coisas pra mim mesma pra evitar conflitos. Não quero deixar de ser honesta mas com o cuidado em ter compaixão. Esses estudos falam dos benefícios de não esconder os pensamentos e viver num mundo sem mentiras.
Taí, acho que encontrei meu grupo pois é um dos princípios que sempre admirei.
Primeiro nos apresentamos e uma das coisas que devíamos falar era sobre algo que geralmente não compartilhamos, algo que a gente evita tocar no assunto.
Um dos exercícios que eu curti foi sentar na frente de uma pessoa desconhecida e falar de coisas que você percebe (roupa, física, gestos) e que nos leva a imaginar (a deduzir) alguma coisa. Por exemplo, você percebe que a pessoa está usando calça pra yoga e então você imagina que ela estava chegando do yoga. Coisas simples mas que nos faz perceber que a gente tira várias conclusões incorretas baseado no que a gente vê mas uma coisa não deveria levar a outra.

Mais sobre honestidade radical

terça-feira, agosto 08, 2017

Ecologia e super população

Tá um tal de amiga grávida agora, quer dizer, sempre tem, né? Mas dessa vez a maioria delas são de recém-casadas, até casal que está junto há menos de um ano.
Semana passada uma conhecida postou sobre coisas que ela faz pra contribuir com o meio-ambiente e um dos exemplos dela era não trazer embalagens de viagem pra casa. Ela perguntou o que mais as pessoas fazem e recebeu uma enxurrada de respostas. Dois assuntos polêmicos foram o consumo de carne (assistam Cowspiracy) e o excesso de procriação no mundo.
Por mais que eu gostaria muito de ter tido um filho, o outro lado fica feliz por não contribuir com a super população mundial. São 7,5 bilhões de pessoas no planeta e como não temos predador e a nossa expectativa de vida aumenta a cada década, a nossa reprodução está fora de controle. Mesmo que a gente seja o mais consciente possível e crie o menor impacto possível, só o fato de a gente comer, beber e morar já causa um grande impacto. Para produzir comida em massa, é necessário usar mais água, mais terra e cada vez mais os animais vão perdendo seus habitats. Entre transporte, água potável, esgoto, eletricidade e moradia, acho inviável para o planeta sustentar essa quantidade de pessoas pois convenhamos, podemos até sonhar mas o fato é que jamais teremos 7 bilhões de humanos vivendo em simbiose com a natureza. Eu acredito que a única forma de haver mais qualidade para o planeta, os animais e os humanos seria diminuir a população mundial (além do  aumento da consciência ecológica).
No entanto, muita gente acredita que a maior função do ser humano é procriar, então continuamos com o crescimento descontrolado.

obs: na verdade eu já tinha escrito quase a mesma coisa sobre isso, aqui neste post

quarta-feira, agosto 02, 2017

Big Pine

Second Lake, North Folk Big Pine

Na semana passada fiz uma trilha nas montanhas na Eastern Sierras. Começamos a trilha cedinho e foram 2800 pés de subida, algo como 224 andares segundo o fitbit. Ao todo foram 18km ida e volta e 9/10 horas de caminhada. A trilha leva a 10 lagos formados com o degelo da neve. Nós vimos os 3 primeiros a 10000 pés de altitude. É com certeza uma das trilhas mais lindas que eu já fiz. Como é bom ficar no meio da natureza assim!
Eu nunca tinha feito uma trilha tão longa e no final da subida eu estava tão exausta que arrastava os pés. A volta foi ainda mais difícil. Me concentrei muito pras minhas pernas chegarem ao final.
Fiquei 3 dias sem me mexer direito.
Na volta da caminhada me questionei várias vezes se tinha valido a pena ficar tão dolorida. Agora que a dor passou, eu creio que sim porque aquele visual vai ficar marcado.
Será que encaro outra dessa?

quarta-feira, julho 26, 2017

Religiosidade

Lá vou eu tocar no assunto de novo.
Eu sempre me considerei ateia mas agora que ando distante de pessoas religiosas, vejo que sou mais agnóstica. Na verdade não me considero nada em relação a religião. Simplesmente não sinto a necessidade de acreditar ou não acreditar e muito menos a necessidade de vangloriar qualquer ser considerado supremo ou líder religioso.
Eu acredito em senso comum, em não causar danos aos outros, em respeitar a natureza, a tentar ser uma boa pessoa consigo mesma e com os outros, a ser proativo e não esperar a vida passar por você (eu falho nisso bastante) e pra isso não sinto necessidade de um ser supremo, nem de regras religiosas ou julgamentos e condenações. Eu sei que muitas pessoas se sentem mais confortadas ao afirmar que foi a vontade de um deus quando passam por problemas.

NAO FAÇA COM OS OUTROS O QUE VOCE NAO QUER QUE FAÇAM CONTIGO.
Este é o meu lema de vida. Simples assim. Acho que este é o princípio pra se levar a vida além de lógico, querer crescer, aprender, superar com os erros e acertos.

Me interesso por uma vida mais palpável e prática, e por isso tenho me interessado bastante por livros de psicologia pois ao invés de pregação, fala de experiências do crescimento humano baseado em exemplos reais. Ao mesmo tempo continuo a acreditar em energia, conexão e tal. Mesmo que a existência ou não de um Deus não faça diferença na minha ética de vida, às vezes gosto de assistir algo mais no ramo espiritualidade. Dia desses descobri os vídeos do Mooji, um líder espiritual jamaicano. Passei horas assistindo os vídeos e gostei muito.

terça-feira, julho 25, 2017

Dia perfeito de verão

É botar a bike na van, almoçar no restaurante hare krishna Govinda, andar 16km de bike, curtir o final de tarde na praia e jantar no meu restaurante italiano preferido. Preciso de mais dias assim. Acho que hoje em dia andar de bike é meu exercício favorito.
O rolê de bike não me cansou muito porque paramos aqui e ali mas os 90 minutos de vinyasa yoga intenso de ontem me quebrou. Estou toda dolorida. Isso é o que dá ser preguiçosa e passar um tempão sem exercício.
Tudo isso é preparação pra uma trilha de 18km nas montanhas que vou fazer nesta quinta. Será que eu aguento? Eu nunca fiz isso.

segunda-feira, julho 17, 2017

Uma volta pelo Centro

Além de natureza, eu também gosto de caminhar nos centros das grandes cidades e admirar a arquitetura. Com a revitalização do centro de Los Angeles, há vários edifícios residenciais e comerciais sendo construídos mas legal mesmo é ver os prédios antigos feitos na época da corrida do ouro.

Saint Vincent Court - até esse mês eu nunca tinha ouvido falar deste lugar. Uma rua sem saída, meio que um beco cheio de restaurantes com mesas nas ruas. Isso é raro no meio da cidade.

Bradbury Building - construído em 1893, tem uma arquitetura italiana renascentista cheio de detalhes nas escadas e elevador em ferro e com um "teto solar". É considerado um monumento histórico nacional e usado em várias filmagens como o filme Blade Runner.






Ace Hotel

quinta-feira, julho 13, 2017

Habitações do Século XXI

Você sabia que uma casa em Los Angeles custa no mínimo 500 mil dólares? E já que a Califórnia é a meca dos hippies, dos techies e dos DIY (faça você mesmo), muitas pessoas estão criando alternativas para o problema de moradia e das hipotecas absurdas de cara.
A primeira é o movimento tiny house em que muitas pessoas estão construindo suas próprias casas pequenas sobre rodas (por causa de uma legislação, eles contornaram o problema criando casas móveis). As casinhas são super fofas e a intenção sempre é colocá-las em lugares menos urbanos e aproveitar mais a natureza.
A segunda alternativa tem sido a conversão de ônibus escolares em casas e convenhamos muitos projetos são bem melhores que a minha casa. Confesso que a vontade de morar num é grande.

Leia mais sobre tiny house
Dá uma olhada nesses ônibus