sábado, agosto 12, 2017

Honestidade Radical

Essa semana fui num workshop muito bom sobre honestidade radical. São grupos espalhados pelo mundo - de uma certa forma não deixa de ser uma comunidade - baseados no livro Radical Honesty do Dr. Brad Blanton.
Quem me conhece sabe que eu não tenho problema com honestidade mas ultimamente tenho mantido mais as coisas pra mim mesma pra evitar conflitos. Não quero deixar de ser honesta mas com o cuidado em ter compaixão. Esses estudos falam dos benefícios de não esconder os pensamentos e viver num mundo sem mentiras.
Taí, acho que encontrei meu grupo pois é um dos princípios que sempre admirei.
Primeiro nos apresentamos e uma das coisas que devíamos falar era sobre algo que geralmente não compartilhamos, algo que a gente evita tocar no assunto.
Um dos exercícios que eu curti foi sentar na frente de uma pessoa desconhecida e falar de coisas que você percebe (roupa, física, gestos) e que nos leva a imaginar (a deduzir) alguma coisa. Por exemplo, você percebe que a pessoa está usando calça pra yoga e então você imagina que ela estava chegando do yoga. Coisas simples mas que nos faz perceber que a gente tira várias conclusões incorretas baseado no que a gente vê mas uma coisa não deveria levar a outra.

Mais sobre honestidade radical

terça-feira, agosto 08, 2017

Ecologia e super população

Tá um tal de amiga grávida agora, quer dizer, sempre tem, né? Mas dessa vez a maioria delas são de recém-casadas, até casal que está junto há menos de um ano.
Semana passada uma conhecida postou sobre coisas que ela faz pra contribuir com o meio-ambiente e um dos exemplos dela era não trazer embalagens de viagem pra casa. Ela perguntou o que mais as pessoas fazem e recebeu uma enxurrada de respostas. Dois assuntos polêmicos foram o consumo de carne (assistam Cowspiracy) e o excesso de procriação no mundo.
Por mais que eu gostaria muito de ter tido um filho, o outro lado fica feliz por não contribuir com a super população mundial. São 7,5 bilhões de pessoas no planeta e como não temos predador e a nossa expectativa de vida aumenta a cada década, a nossa reprodução está fora de controle. Mesmo que a gente seja o mais consciente possível e crie o menor impacto possível, só o fato de a gente comer, beber e morar já causa um grande impacto. Para produzir comida em massa, é necessário usar mais água, mais terra e cada vez mais os animais vão perdendo seus habitats. Entre transporte, água potável, esgoto, eletricidade e moradia, acho inviável para o planeta sustentar essa quantidade de pessoas pois convenhamos, podemos até sonhar mas o fato é que jamais teremos 7 bilhões de humanos vivendo em simbiose com a natureza. Eu acredito que a única forma de haver mais qualidade para o planeta, os animais e os humanos seria diminuir a população mundial (além do  aumento da consciência ecológica).
No entanto, muita gente acredita que a maior função do ser humano é procriar, então continuamos com o crescimento descontrolado.

obs: na verdade eu já tinha escrito quase a mesma coisa sobre isso, aqui neste post

quarta-feira, agosto 02, 2017

Big Pine

Second Lake, North Folk Big Pine

Na semana passada fiz uma trilha nas montanhas na Eastern Sierras. Começamos a trilha cedinho e foram 2800 pés de subida, algo como 224 andares segundo o fitbit. Ao todo foram 18km ida e volta e 9/10 horas de caminhada. A trilha leva a 10 lagos formados com o degelo da neve. Nós vimos os 3 primeiros a 10000 pés de altitude. É com certeza uma das trilhas mais lindas que eu já fiz. Como é bom ficar no meio da natureza assim!
Eu nunca tinha feito uma trilha tão longa e no final da subida eu estava tão exausta que arrastava os pés. A volta foi ainda mais difícil. Me concentrei muito pras minhas pernas chegarem ao final.
Fiquei 3 dias sem me mexer direito.
Na volta da caminhada me questionei várias vezes se tinha valido a pena ficar tão dolorida. Agora que a dor passou, eu creio que sim porque aquele visual vai ficar marcado.
Será que encaro outra dessa?

quarta-feira, julho 26, 2017

Religiosidade

Lá vou eu tocar no assunto de novo.
Eu sempre me considerei ateia mas agora que ando distante de pessoas religiosas, vejo que sou mais agnóstica. Na verdade não me considero nada em relação a religião. Simplesmente não sinto a necessidade de acreditar ou não acreditar e muito menos a necessidade de vangloriar qualquer ser considerado supremo ou líder religioso.
Eu acredito em senso comum, em não causar danos aos outros, em respeitar a natureza, a tentar ser uma boa pessoa consigo mesma e com os outros, a ser proativo e não esperar a vida passar por você (eu falho nisso bastante) e pra isso não sinto necessidade de um ser supremo, nem de regras religiosas ou julgamentos e condenações. Eu sei que muitas pessoas se sentem mais confortadas ao afirmar que foi a vontade de um deus quando passam por problemas.

NAO FAÇA COM OS OUTROS O QUE VOCE NAO QUER QUE FAÇAM CONTIGO.
Este é o meu lema de vida. Simples assim. Acho que este é o princípio pra se levar a vida além de lógico, querer crescer, aprender, superar com os erros e acertos.

Me interesso por uma vida mais palpável e prática, e por isso tenho me interessado bastante por livros de psicologia pois ao invés de pregação, fala de experiências do crescimento humano baseado em exemplos reais. Ao mesmo tempo continuo a acreditar em energia, conexão e tal. Mesmo que a existência ou não de um Deus não faça diferença na minha ética de vida, às vezes gosto de assistir algo mais no ramo espiritualidade. Dia desses descobri os vídeos do Mooji, um líder espiritual jamaicano. Passei horas assistindo os vídeos e gostei muito.

terça-feira, julho 25, 2017

Dia perfeito de verão

É botar a bike na van, almoçar no restaurante hare krishna Govinda, andar 16km de bike, curtir o final de tarde na praia e jantar no meu restaurante italiano preferido. Preciso de mais dias assim. Acho que hoje em dia andar de bike é meu exercício favorito.
O rolê de bike não me cansou muito porque paramos aqui e ali mas os 90 minutos de vinyasa yoga intenso de ontem me quebrou. Estou toda dolorida. Isso é o que dá ser preguiçosa e passar um tempão sem exercício.
Tudo isso é preparação pra uma trilha de 18km nas montanhas que vou fazer nesta quinta. Será que eu aguento? Eu nunca fiz isso.

segunda-feira, julho 17, 2017

Uma volta pelo Centro

Além de natureza, eu também gosto de caminhar nos centros das grandes cidades e admirar a arquitetura. Com a revitalização do centro de Los Angeles, há vários edifícios residenciais e comerciais sendo construídos mas legal mesmo é ver os prédios antigos feitos na época da corrida do ouro.

Saint Vincent Court - até esse mês eu nunca tinha ouvido falar deste lugar. Uma rua sem saída, meio que um beco cheio de restaurantes com mesas nas ruas. Isso é raro no meio da cidade.

Bradbury Building - construído em 1893, tem uma arquitetura italiana renascentista cheio de detalhes nas escadas e elevador em ferro e com um "teto solar". É considerado um monumento histórico nacional e usado em várias filmagens como o filme Blade Runner.






Ace Hotel

quinta-feira, julho 13, 2017

Habitações do Século XXI

Você sabia que uma casa em Los Angeles custa no mínimo 500 mil dólares? E já que a Califórnia é a meca dos hippies, dos techies e dos DIY (faça você mesmo), muitas pessoas estão criando alternativas para o problema de moradia e das hipotecas absurdas de cara.
A primeira é o movimento tiny house em que muitas pessoas estão construindo suas próprias casas pequenas sobre rodas (por causa de uma legislação, eles contornaram o problema criando casas móveis). As casinhas são super fofas e a intenção sempre é colocá-las em lugares menos urbanos e aproveitar mais a natureza.
A segunda alternativa tem sido a conversão de ônibus escolares em casas e convenhamos muitos projetos são bem melhores que a minha casa. Confesso que a vontade de morar num é grande.

Leia mais sobre tiny house
Dá uma olhada nesses ônibus

quarta-feira, julho 12, 2017

A tal da Reforma Trabalhista

Sinceramente não li nada sobre o assunto a não ser comentários no Facebook. Não sei bem quais foram as mudanças mas pelo que vejo, ficou um pouco parecido com as leis trabalhistas dos países neoliberais.
Aqui cada empresa determina os benefícios aos funcionários com alguns parâmetros básicos geral. Foi estranho aceitar isso quando cheguei mas reconheço que os Estados Unidos são um país super produtivo onde essa falta de direitos rígidos tem proporcionado uma maior existência de microempresas.
Essa é a maior vantagem que vejo mas de resto... sinto falta de férias de 30 dias, 13º salário, "remuneração" por demissão sem justa causa e é por isso que trabalho autônomo pra mim vale bem mais a pena. Já que não há muitos benefícios, eu tenho minha liberdade.
Acho que a tendência é essa. Ser menos empregado e mais autônomo. Hoje em dia é possível trabalhar de casa para várias empresas americanas.

sexta-feira, julho 07, 2017

Los Angeles é uma cidade praiana?


Sim e não.
Se vocês pensam que Los Angeles é uma cidade tipo Miami Beach ou Rio de Janeiro, vocês estão enganados. Sim, Los Angeles tem um litoral extenso e até existem pessoas que frequentam a praia. No entanto, a grande maioria não tem o costume de lagartear na areia. O máximo que você vê é muita gente frequentando o calçadão pra andar de bicicleta, patins, skate, se exercitar, fazer ioga, jogar volei de praia ou caminhar. Os angelenos são muito ativos e acho que a ideia de ficar no sol sem fazer nada os deixariam loucos.
Portanto esta é um cidade que tem praia mas não tem o clima praiano.

terça-feira, junho 27, 2017

Papo de Mulher

Já vou avisando que esse post é sobre menstruação. Chega de mimimi pra falar de algo normal. Por que, né? Nós mulheres sangramos mesmo e é perfeitamente natural.
Na verdade esse post é sobre menstruação X meio-ambiente, já que sempre me interessei em contribuir pro meio-ambiente da forma que eu pudesse.
Você sabia que a mulher usa em média 10 mil absorventes em sua vida? É muito lixo no planeta. Quando descobri a existência do coletor menstrual há uns 8 anos fiquei encantada a ponto de vender o produto para as amigas. Só que depois da minha cirurgia não consegui mais usar.
Esse ano descobri mais um produto que eu e minhas amigas estamos amando: a calcinha THINX. Isso mesmo! Calcinha que não vaza e é só lavar e reutilizar. No começo achei meio estranho. Calcinha pra usar durante nosso período menstrual?
Tantas amigas elogiaram o produto que eu resolvi testar. E não é que é bom mesmo? Super confortável! A longo prazo além de contribuir pra menos desperdício, ajuda o bolso também.
E ainda por cima essa empresa de Nova York envia o produto pra adolescentes na África que não podem comprar absorventes e sofrem por não poderem ir à escola quando estão menstruadas. Empresa com consciência social é isso.

www.thinx.com


quinta-feira, junho 22, 2017

O Recomeço

Aviso que é um post desabafo.
Após alguns anos de depressão, vem o recomeço. É um renascer. Nisso vem uma vontade de começar do zero num lugar completamente novo onde ninguém tenha me visto naquele estado.

A depressão muda a tua forma de pensar, de agir, de reagir. Nesse processo várias amizades se foram. Não vale aqui comentar as razões mas eu sinto que as velhas amizades sempre vão me ver como aquela pessoa daqui pra frente.

segunda-feira, junho 19, 2017

Catalina Island e outras ilhas


Depois de 16 anos em Los Angeles, posso dizer que conheço essa cidade muito bem mas sempre é possível explorar mais.
Na sexta passei o dia em Avalon em Santa Catalina Island. Sempre achei curioso o fato de que a 20 milhas da costa de Los Angeles há uma ilha com quase o mesmo nome do lugar que nasci, a Ilha de Santa Catarina.
A ilha tem 35km de extensão mas há somente uma pequena vila de 3.500 habitantes, provavelmente porque água potável é bem limitada. O que mais me encantou foi a transparência da água. Andei de caiaque e pude ver vários peixes.

Eu sempre fui fascinada por estes pedaços de terra cercados de água por todos os lados e me vejo sempre visitando um canto assim. Algumas ilhas onde já botei os pés:

- Floripa
- Ilha do Mel
- Tinharé (Morro de São Paulo)
- Hawaii
- Cuba
- República Dominicana

Qual será a próxima? E você, qual sua ilha favorita?