quarta-feira, outubro 15, 2014

Adeus ao churrasco

Sempre achei que os brasileiros comiam muito melhor que os americanos. É bem possível se você descartar a Califórnia. Grande parte das pessoas que moram neste estado é bem ligada em comidas saudáveis. Quando você vê já está discutindo com amigos sobre os benefícios da couve ou da quinoa em qualquer festinha. Esse tipo de conversa é bem comum por aqui. Também é comum ir num restaurante e pedir um grande prato de salada ao invés de vir como acompanhamento como acontece na maioria dos restaurantes brasileiros. Além disso, não existe um restaurante que não ofereça opções vegetarianas no cardápio.
Numa pesquisa sobre o indíce de câncer pelo mundo (http://globalcancermap.com/), percebi que o Brasil tem muito mais casos de câncer gastrointestinal do que os EUA. Acredito que isto está muito ligado no nosso hábito de comer churrasco, fritura e excesso de sal. O que vocês acham?

sábado, agosto 30, 2014

2014

Definitivamente este tem sido o ano das mudanças.
Estou bem surpresa em ver como estou calma apesar de tudo. Será a maturidade?

Tem sido um ano conturbado entre encontrar um lugar pra morar, mendigo dormindo no meu carro e levando documentos importantes e meu telefone novinho sendo roubado.

Depois disso, piorou ainda mais. Meu Pimpy, que tinha acabado de completar 10 anos, ficou doente e descobrimos que tinha cancer e não havia mais jeito de salvar. Achamos que era um problema na coluna e voltamos pra casa sem o meu companheiro, meu grande amor. Eu não imaginava que seria tão difícil lidar com essa perda.

No dia 25/07 jogamos as cinzas dele no lugar preferido dele em Malibu.
No dia 27/07 fico doente. Vou parar na emergência e dias depois na mesa de operação. Um pedaço do meu intestino foi tirado junto com um tumor. Câncer estágio 1.

Espero que este seja o capítulo final da tempestade.
E agora é rever a forma de viver e estudar muito pra não deixar essa doença dominar a situação.

domingo, julho 20, 2014

Ando com saudade de blogar, escrever mais e sempre mas cadê tempo pra isso?

sábado, março 15, 2014

Cypress Park

Após 5 meses perambulando pela casa de amigos, faz um mês que moro em Cypress Park, um bairro próximo ao Centro de Los Angeles. Fica a 5 milhas de onde eu morava, ou seja, na mesma região chamada de Eastside mas eu nunca tinha andado por aqui. Toda essa área está passando por uma gentrificação, ou seja, um enobrecimento de bairros antes considerados de baixa renda.
Aos poucos, os hipsters vão tomando os espaços com as aberturas de cafés e restaurantes de "fusion food" e o bairro vai encarecendo. Cypress Park ainda é bem latino e possui somente 4 restaurantes - todos mexicanos - mas já vejo algumas mudanças rumo a gentrificação como a construção de um novo condomínio de lofts.
Interessante é que daqui dá pra ouvir o trem e o metrô fica perto da minha casa, um milagre em Los Angeles. 
O Eastside era considerado perigoso na década de 90 por causa das gangues, principalmente este bairro, sede do grupo The Avenues, uma das gangues mais perigosas do país. Aqui mesmo perto de casa, pelo menos três pessoas foram assassinadas incluindo o xerife do distrito. Essa gangue está relacionada com a máfia mexicana. Durante 20 anos, uma mulher e seus 13 filhos dominaram o tráfico de drogas na região mas em 2009 as autoridades ganharam uma petição pra destruir a casa e metade dos filhos foram presos e muitos saíram da cidade. 
Desde então parece que os tiroteios diminuíram. 
Conversei com alguns vizinhos perguntando se aqui era perigoso pois na primeira noite algum mendigo dormiu no meu carro, remexeu as minhas coisas mas não levou muita coisa. Todos eles disseram que agora está bem mais tranquilo. Hoje fui comprar comida num food truck não muito perto daqui e o cara que estava na minha frente esperando pela comida veio perguntar se eu morava na rua Aragon. Disse que me reconheceu pelo carro. Era meu vizinho. Ele disse que antigamente os filhos dele chegavam com as camisas rasgadas pois as gangues metiam pressão pra fazerem parte do bando até que o pai dele foi conversar com o líder pedindo pra deixá-los em paz pois eram atletas. Imagina o desespero? 

sexta-feira, março 14, 2014

Ciúmes (2)

Após 14 anos nos EUA, estou com planos de voltar ao Brasil apesar de estar muitíssimo insegura com esse passo por várias questões.
Uma delas é o relacionamento possessivo de casais na cultura latina. É algo que me incomoda demais. Vivo com um pessoal que é extremamente liberal. Todos brincam com todo mundo, abraçam, brincam, conversam e jamais presenciei um clima tipo "quem é aquela pirua conversando com meu marido?" Lógico que nem todos os meus amigos no Brasil são assim mas SEMPRE passo por uma situação estranha. 
Um exemplo está aqui
Dois meses atrás quando estava no Brasil encontrei uma turma de amigos quando tinha 16 anos. A gente não se via há 2 décadas e a felicidade de reencontrá-los foi enorme. Eu sempre andei com homem. Naquela época então eu era super moleque. Conversamos muito, eles me trataram super bem, batemos fotos e claro, postamos no nosso grupo. Dois dias depois uma das esposas começa a mandar comentários irritadinhos. Lá vem! Resolvi mandar uma mensagem pra ver se acabava com as neuras mas o resultado foi desastroso e ela me xingou horrores. 
Não sei se ainda tenho paciência pra lidar com inseguranças assim, de ficar vigiando meu comportamento diante de homens comprometidos. Quem me conhece sabe que jamais daria em cima de homem casado mas ter de agir friamente pra evitar ciúmes me faz sentir outra pessoa.

segunda-feira, março 10, 2014

Amber Alert


As autoridades na Califórnia mantém os residentes informados da forma que podem. Eles usam os letreiros espalhados na freeway para avisos sobre acidentes e  atualização do trânsito, além de mensagens como a seca em que estamos passando, tsunami e mesmo sequestro de crianças. 

Desde o ano passado eles usam mais uma ferramenta de serviço de utilidade pública: o nosso telefone celular. Hoje de manhã meu telefone soou um sinal de alarme com informações sobre um carro que levou uma criança.