quinta-feira, outubro 20, 2005

Dicas sobre LA

Praticamente toda semana eu recebo, e-mail, scrap no Orkut ou comentários de pessoas me perguntando sobre viver nos EUA ou de gente que está aqui há pouco tempo e quer fazer amizades. Não me leve a mal, eu adoro fazer amizades. Só que eu mal consigo arranjar tempo pra visitar os que eu já tenho. São 3 trabalhos, aula, cachorro pra cuidar, apartamento pra arrumar, ajuda comunitária, preparação de performance, internet e namorado. Só tenho um dia de folga pra fazer o resto mas eu prometo que vou tentar.

Eu já comentei sobre morar em LA antes, tem alguns posts antigos (14/07/04). Eu não sei exatamente que tipo de informação vocês estão procurando. Então vamos ver que dicas eu posso dar:

- A melhor fonte de classificados na minha opinião é o Craigslist. Lá você encontra tudo que quiser: carro, móveis, trabalho, lugar pra morar ou qualquer outra coisa.

- Pra alugar um apartamento a princípio é difícil porque quase todos os lugares checam o seu crédito. Aqui tudo funciona na base do crédito, até pra abrir uma conta de luz. O crédito é baseado no seu histórico financeiro (quanto você gasta, se paga em dia...). A forma mais fácil de começar o crédito, é pagar suas coisas com cartão de crédito (americano, claro). Quanto mais você usa e paga em dia, melhor o seu crédito. Mas até pra conseguir o primeiro cartão é complicado. Você tem que deixar um depósito de 500 dólares num banco por um ano. Se você vem pra ficar, vale a pena.

- Acho que a melhor opção pra quem não tem trabalho ou lugar pra ficar é se hospedar no USA Hostels Hollywood. Não sei se ainda é possível mas acho que você pode trabalhar algumas horas por dia em troca de hospedagem.

- Pra alugar um quarto na casa de alguém, a média é de 600 a 900 dólares por mês. Existem alguns mais baratos ou bem mais caros. Ou lógico, tentar morar com mais pessoas pra sair mais barato, apesar de muitos prédios terem limites de pessoas por apartamento. Tinha um prédio que eu morava que eram 4 brasileiros num apartamento de um quarto mas muitas vezes só é permitido no máximo 2.

- Se locomover nesta cidade sem carro não é impossível mas complicado. Eu mesma morei aqui por 2 anos e meio sem carro. Los Angeles está longe de ter um bom sistema de transporte público. Passagem de ônibus: 1,60 ou 3 dólares pelo passe diário.

- Em relação a emprego, a maioria dos brasileiros que eu conheço trabalham em restaurantes seja como delivery drivers (entregadores) ou garçom. A forma mais fácil é conseguir um trabalho em restaurante brasileiro. A vantagem desse tipo de trabalho é que você ganha tip (gorjeta). Tem uma lista de restaurantes brasileiros no site Pelourinho. Não pense que isto é sub-emprego de imigrante. Como aqui tem muita gente tentando ganhar a vida como artista, muitos aspirantes a ator acabam trabalhando nessa área por causa do horário flexível. Em 4 horas, você faz o mesmo ou mais do que trabalhando em escritório.

- Os EUA, aos poucos, estão entrando numa recessão. Me assusta pensar que temos mais 3 anos de Governo Bush. Eu acho que aqui na Califórnia é mais difícil arranjar emprego e se manter que em outros lugares. Se você vem por dinheiro, eu recomendo outros estados. Se você vem com vontade de trabalhar com música ou cinema, LA é a melhor opção. A única dica que eu posso dar pra começar nessa área é trabalhar como estagiário pra construir um currículo e conhecer muita gente. Quanto mais contatos, melhor. O currículo ajuda mas não muito. Eles querem é experiência aqui e, pontualidade. Não espere por ordens, sempre venha com idéias.
Eu comecei como estagiária numa empresa e 3 meses depois fui contratada no departamento de comunicação.
Na minha experiência pessoal, as relações de trabalho foram cruciais na minha decisão de ficar. Os americanos são muito profissionais, educados, respeitadores e ótimos gerentes. Dão elogios, pedem por favor, com licença e dizem obrigado. Pra mim, que só gosto de trabalhar através de motivação, não deu muito certo no Brasil. A impressão que eu tive foi de que lá chefe só critica funcionário e eles jamais estão satisfeitos com o seu desempenho. Mas isso sou eu, afinal os brasileiros dizem que estou americanizada.

É isso. Não sei se vocês ainda têm mais dúvidas, qualquer coisa é só comentar/perguntar. Infelizmente vai ser difícil mandar e-mails individuais toda semana.

websites úteis:
Craigslist
Pelourinho
USA Hostels Hollywood

9 comentários:

  1. Caramba, Megui, tremendo serviço de utilidade pública, hein? Assim você só precisa mandar o link desse post sempre que alguém voltar com a mesma velha pergunta...

    ResponderExcluir
  2. Megui, comigo eh a mesma coisa. O povo adora me mandar email me pedindo dicas de morar nos Estados Unidos. Fica dificil as vezes, porque a maioria quer saber como faz pra trabalhar aqui ilegalmente, coisa que nunca fiz. Eh interessante isso.
    Eu AMO o Craigslist, AMO!!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Megui,

    Engraçado... não acho que é o fato de tu ser ou não "americanizada", quando eu tava trabalhando no Brasil tb sentia a mesma coisa, que o esforço era em vão, tanto no reconhecimento, quanto no salário... Aqui tb são dessa forma, mais educados, e quando é pra reconhecer eles reconhecem na boa, parece que no Brasil isso seria "muito" pra um chefe, não tem humildade suficiente pra chegar e dá um elogio, isso me cansou!

    Tb tenho um mail "pronto" com dicas daqui pra qdo as pessoas perguntam ou pedem... incrível que a cada dia que passa as pessoas tem mais vontade de sair de lá... que pena não é?

    beijos
    Fabíola

    ResponderExcluir
  4. Adorei o post, super informativo. Fiquei uns dias em Los Angeles e é uma loucura sem carro mesmo, infinitamente pior que aqui, em Washington.

    Mas, sabe que eu não recebo, nunca, esse tipo de pergunta - se é bom viver aqui, quanto custa a vida, como estudar ou conseguir trabalho - (graças a Deus!)... às vezes me perguntam sobre visto pra Suécia, mas é só...

    Devo ter cara de quem não vai responder mesmo hehehe...

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  5. Megui,
    Eh comum me perguntarem se compensa financeiramente vir para os EUA e como eh para arranjar emprego na “area de formacao”. Eu sempre respondo que nao compensa em termos de grana e que nao eh facil arranjar emprego, qualquer emprego. Entao retrucam: “O que voce esta fazendo por ai guria? Volta pra ca, volta pro jornalismo”. Parece que pior do que matar a mae a paulada eh trocar de carreira e mudar de pais, sem que se esteja pensando em voltar para o torrao natal e as aspiracaoes profissionais da adolescencia.
    Bem, de qualquer forma, vou indicar o teu post para aqueles que pretendem vir de uma forma ou de outra.

    ResponderExcluir
  6. Megui, qual eh o teu endereco no Orkut pra eu te adicionar?

    ResponderExcluir
  7. Pois é, Leila. É o que eu pretendo fazer. Nunca estou certa se eles querem informações ou se eles esperam um convite pra ficar aqui.

    Laura, esse tipo de pergunta eu nunca recebi.

    Você acha Fabis que cada vez mais eles têm vontade de sair? Não sei, não sinto isso. Sempre vi essa migração. Lembro nos anos 80 que muita gente se mudou pra Flórida. Meus amigos em particular não pensam em sair de lá, ou pelo menos a maioria.

    ResponderExcluir
  8. Pois é, esse negócio do salário é legal porque se você acha que merece aumento, você pode sentar e conversar com o chefe sobre isso. Eu, por exemplo, ganhei aumento depois de 3 meses. Não precisa esperar reajuste do salário mínimo.

    É Débora, eu senti a pressão da profissão quando estive no Brasil. A única pergunta da família ou amigos era se eu estava trabalhando na área. Existe uma preocupação enorme com posição social. Quando cheguei aqui, tb não pensava em ficar porque queria um trabalho "na área". Depois descobri que muitas áreas são legais desde que haja dignidade e respeito. Trabalhava de jornalista no DC e não havia muito respeito.

    Laura, meu endereço é Megui A Louca :))))

    ResponderExcluir
  9. Bem bacanas as suas dicas! Coloquei no meu blog um link pra este post. Quanto às expectativas dos outros sobre o que vamos fazer/ter ou sobre nosso status, desde pequenos somos condicionados a agir conforme o que os outros pensam sobre nós - mesmo que seja só pra ser rebelde e agir da forma contrária. :) É um grande alívio quando a gente consegue se livrar desse peso - não das expectativas dos outros, que elas sempre vão existir - mas da nossa preocupação com isso :) bjs da Ilha

    ResponderExcluir